fbpx
Compartilhe

A inquietude em pensar fora da caixa, querer ser grande e inovar motivaram um jovem de 23 anos a entrar para o mundo das startups. Era 2015 e Arthur Frota havia sido demitido de uma tradicional empresa de tecnologia do Ceará, onde trabalhava como gerente de TI. Mal sabia ele que 2 anos depois fundaria a Tallos, startup que ajuda empresas a estruturarem canais de atendimento digitais automáticos por meio de chatbots.

Arthur já havia trabalhado com atendimento ao cliente em outras empresas e entendia as dores do relacionamento digital. “Via que faltava eficiência no relacionamento entre marcas e pessoas”, diz ele. Não demorou muito para vir o insight (o primeiro desta história que teve muita tentativa e erro até vir o acerto).

O que viria a ser a Tallos em 2017 começou como Mega Sac, 1 ano antes. A plataforma de atendimento ao cliente integrada ao WhatsApp foi criada com um investimento de R$ 25 mil feito por Arthur e seu sócio. O negócio, que funcionava na garagem da casa de sua mãe, no entanto, não se sustentou. Veio então a mudança de foco para a área médica, montando chatbots para clínicas. Nascia então a Tallos Medical no início de 2017.

Pausa para explicar o nome da empresa. Tallos é caule em espanhol. E como o caule é a base da planta que a conecta com sua raiz e folhas, Arthur baseou o propósito da empresa nisso, ser uma base de comunicação que conecta pessoas. 

Ao pivotar para a área médica, conseguiram levantar R$ 100 mil pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico (Funcap), dinheiro que foi usado para pagar programadores e em pesquisa para desenvolver um algoritmo de aprendizagem de máquina que criasse respostas automatizadas. Promissor, não? É, mas também não conseguiram escalar o negócio. Não demorou para vir o segundo insight (rapaz arretado que não desiste fácil!). 

Arthur Frota, fundador e presidente da Tallos

Tallos para todos

“Com a tecnologia criada, plataforma de atendimento inteligente com IA própria, percebemos que ela servia para qualquer negócio e segmento, não se limitava à área médica”, conta Arthur. O Medical foi excluído do nome da empresa e surgia então a Tallos, em setembro de 2017, no coração do polo industrial de Maracanaú, a 24 km da capital Fortaleza. 

O negócio finalmente foi se consolidando, atraindo pequenas empresas como clientes, até que a startup chegou aos ouvidos de um grupo de investidores do CESAR, centro de inovação do Porto Digital do Recife. No início de 2019 isso acabou culminando em um investimento anjo de R$ 150 mil com empresários locais (metade dinheiro, metade capital intelectual).

Segundo Arthur, o crescimento da empresa ocorreu, principalmente (pasmem), durante a pandemia. As empresas começaram a procurar a Tallos para estruturar suas vendas no digital. “Como exemplo, 80 franqueados da Damásio Educacional vieram de uma vez. Mas nosso principal case é o Banco do Nordeste, que nos procurou para otimizar sua oferta de microcréditos pelo WhatsApp”, conta Arthur orgulhoso. 

A partir daí, só sucesso. Em 2020, a Tallos cresceu 1000% em relação ao ano anterior e em 2021, somente no primeiro semestre, o quadro de funcionários foi triplicado e hoje é composto por 50 colaboradores. A plataforma já é utilizada por mais de 10 mil pessoas, em mais de 500 clientes de todo o Brasil.

Equipe da Tallos

De Ceará para o mundo

O próximo passo da Tallos é internacionalizar sua plataforma. “Já iniciamos a contratação de profissionais para integrarem este núcleo de atendimento internacional, traduzimos toda a plataforma para inglês e espanhol e estamos em negociação com possíveis clientes fora do Brasil”, diz Arthur. Segundo ele, Chile, Peru e Portugal são os principais países na mira. 

Para apoiar seu plano de expansão, a Tallos está em conversas para captação de investimento seed. Até já contratou uma consultoria para ajudar no processo, cujo nome ainda não pode ser revelado. A ideia é levantar em torno de R$ 15 milhões e usar a grana para, além da internacionalização, no marketing e em vendas. 

ANÁLISES

Veja todas as análises