fbpx
Compartilhe

Apesar do crescimento do ecossistema e venture capital no Brasil, com recordes alcançados nos últimos anos, a desigualdade de gênero entre os fundadores das startups brasileiras é uma realidade.  Porém, existem mulheres de sucesso à frente de negócios de base tecnológica em todo o país.

De acordo com o Sebrae, há 24 milhões de empreendedoras no Brasil, quantidade semelhante ao número de homens. No entanto, números do cenário brasileiro de startups somente 4,7% delas são lideradas por mulheres. Os dados estão no Female Founders Report 2021, estudo elaborado pelo Distrito em parceria com a Endeavor e a B2Mamy.

Uma análise setorial mostra que as mulheres têm uma presença consideravelmente maior nas fashiontechs: mais de 60% das empresas inovadoras neste ramo foram fundadas por mulheres. Na sequência estão Recursos Humanos & Gestão de Pessoas (26,7%), Negócios Sociais (24,1%) e Alimentação (22,7%).

Em homenagem ao mês das mulheres, o Startups já fez uma lista de 10 fundadoras negras. Agora a gente reuniu 5 fundadoras de sucesso além da Faria Lima, que apesar de todos os desafios enfrentados por conta do gênero, têm escalado seus negócios e transformado os setores nos quais atuam. Confira:

Larissa Marques,
Life Sprint (RN)

Após 13 anos atuando na implantação e reestruturação de programas de bem-estar corporativo, Larissa decidiu fundar a Life Sprint. A startup potiguar desenvolveu um método próprio baseado em conceitos de aprendizagem ágil e metodologias ativas vivenciais para levar educação em saúde, bem-estar e autoconhecimento para as empresas. Antes disso, em 2017, a empreendedora foi vencedora do prêmio Sebrae Mulher de negócios. Para completar os atributos, Larissa também é nutricionista e tecnóloga em Lazer e Qualidade de Vida, especialista em Qualidade de Vida e Saúde no Trabalho, além de Mestre em Gestão da Tecnologia e Inovação.

Michele Zavadil,
Me Veste Brasil (RS)

Filha de estilista, irmã de uma designer, e formada em gestão comercial, Michele sempre trabalhou com moda. Sua mais recente empreitada é a startup Me Veste Brasil, site para venda e aluguel de roupas usadas. Fundada em 2019, a própria startup recebe as peças dos interessados em vender ou alugar, faz as fotos, cria uma loja online e faz a divulgação. Em 2021 contou sobre o crescimento da startup na pandemia no livro ‘Empreendedorismo Feminino: Protagonistas em tempos de Pandemia’, do qual foi co autora. Graduada em Gestão Comercial, Michele também é criadora da marca de moda feminina Colorê Patchwork, fundadora do acervo compartilhado Me Empresta e da MZ Comunicação, empresa focada em eventos, cursos e treinamentos para empreendedores nas áreas comercial e marketing digital.

Nayana Branco, Somapay (CE)

Nayana é co-fundadora e líder de Recursos Humanos da Somapay. Criada em 2014 para conectar empresas e funcionários a serviços financeiros digitais, a fintech cearense é a primeira do Nordeste a oferecer serviços do Banco24Horas. Movida pela paixão de desenvolver pessoas e empreender, viu na Somapay a oportunidade de mudar a realidade de várias empresas ao otimizar os processos do RH, Financeiro e Departamento Pessoal. Nayana é formada em economia pela Universidade de Fortaleza e acumula mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro. 

Paula Morais, Intera (BA)

Com o objetivo de revolucionar e desconstruir o modelo tradicional de recrutamento de talentos, Paula fundou, em 2018, a HRTech baiana Intera, junto a Augusto Frazão. A startup detém uma metodologia proprietária e específica chamada de Hunt Hacking – método de atração de talentos (hunting) combinado com tecnologia, inteligência de dados, automações e estratégias online. Metade da carteira de clientes da Intera é formada por unicórnios brasileiros, como Creditas, iFood, Hotmart, Quinto Andar, entre outros. Antes de fundar a HRTech, chegou a ser diretora de Recrutamento na healthtech Sanar, também fez carreira em e-commerce e chegou a ter uma escola de tecnologia que formava desenvolvedores.

Roberta Vasconcellos, BeerOrCoffee (MG)

Roberta é co-fundadora e presidente do marketplace de coworkings que levantou uma série A de R$ 55 milhões no fim do ano passado. A empresária mineira é Global Shaper pelo Fórum Econômico Mundial e ex-aluna da Iniciativa Jovens Líderes das Américas (YLAI). Em 2015, foi eleita “30 Under 30” pela Forbes Brasil. São 12 anos de experiência em vendas e marketing, e no mercado de tecnologia desde 2009. À frente do BeerOrCoffee, Roberta representou a América Latina no Google Demo Day Women’s Edition 2016, participou dos programas de aceleração Startup Chile e Seed e venceu a Startup Games UK TI.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões