fbpx
Compartilhe

Quem compra uma casa ou apartamento recebe (ou deveria sempre receber) o ‘manual do proprietário’, que é como se fosse um manual de instruções do imóvel. Nele constam todas as informações de medidas, descrição de materiais, instalações elétrica e hidráulica etc.. O ponto é que o documento pode chegar a ter até 200 páginas. E geralmente, em papel, ou mesmo em um CD (CD???). Ou seja, não é nada fácil para o síndico ou morador encontrar um dado específico de última hora.

Atentos a isso, quatro engenheiros civis de Recife tiveram uma ideia: digitalizar toda essa papelada dos manuais para disponibilizar as informações de uma forma muito mais fácil, e com uma linguagem um pouco menos ‘tecniquês’. Investiram um total de R$ 150 mil e fundaram, em 2018, a construtech Facilitat, pioneira no país na criação de um manual de gestão de manutenções e garantias prediais digital e interativo.

Dentre as funcionalidades da plataforma estão um calendário completo de manutenções, incluindo alertas via email e um mapa de garantias inteligente, relacionado à realização, ou não, das manutenções preventivas respectivas. Pela solução ainda é possível abrir chamados de assistência técnica, relacionando garantias e registros da edificação.

A incorporadora adquire o manual digital por um valor x, e caso ela queira mais funcionalidades, paga uma assinatura mensal por empreendimento, geralmente por 5 anos, que é o prazo máximo de garantia da obra. Quando acaba esse prazo, a ideia é que o condomínio passe a ser o cliente da Facilitat

“Estamos criando uma cultura de manutenção preventiva para que o usuário aja antes do problema acontecer, o que não era possível com o manual físico”, afirma Fábio Serrano, presidente da Facilitat, que também é um case de sucesso. Isso porque o engenheiro entrou na startup como estagiário na área comercial, e não demorou muito para virar sócio. Depois de 1 ano, com a saída de um dos fundadores e como único sócio restante, tornou-se presidente da companhia. Menino arretado!

Fábio Serrano, presidente da construtech recifense Facilitat

Crescimento orgânico

Foi a partir de 2019, ano em que ficou incubada no Porto Digital, que a Facilitat começou a crescer de forma orgânica. Encerrou o primeiro ano de vida com 50 empreendimentos clientes e R$ 200 mil de faturamento. Cresceram 35% na pandemia e encerraram 2021 com R$ 390 mil em caixa e cerca de 170 incorporadoras, e 90 construtoras, como clientes ‒ Delman, Monteplan e Moura Dubeaux são algumas.

No fim do ano passado começaram a ir além e conseguiram o primeiro cliente fora do Norte e Nordeste, a mineira paulistana Engeform. A meta, segundo Fábio, é migrar para o Sul e Sudeste. E como o MVP criado em 2018 cresceu tanto, e sua mecânica não funcionava mais para o volume de clientes da startup, tiveram que fazer uma nova versão do produto. Chamada agora de Facilitat 4.0, a plataforma será lançada no mercado a partir deste mês, enquanto aos poucos é feita a migração para os atuais clientes.

Com tudo indo de vento em popa, a Facilitat está pronta para buscar sua primeira rodada de captação, que pode rolar ainda em 2022. A startup está em conversas com alguns investidores que conheceu em programas de aceleração como o Ancham Arena e Inovativa Brasil. A grana virá a calhar para tornar a tecnologia cada vez mais escalável, investir em marketing e na expansão do time, que atualmente é composto por 14 pessoas.

“Temos uma empresa que é sexy ao mercado [adorei quando ele disse isso durante a entrevista]. Temos um produto, crescemos organicamente, então agora estamos prontos para receber investimento externo”, completa Fábio.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões