fbpx
Compartilhe

Com 250 mil habitantes e uma população flutuante de 30 mil universitários, não é de hoje que São Carlos, no interior de SP, é considerada uma importante polo de inovação no Brasil – ou um Vale do Silício como muita gente gosta de comparar. O ecossistema da cidade conta com grandes universidades, institutos de pesquisas, escolas técnicas, além de parques tecnológicos e incubadoras de empresas.

Para se ter ideia, São Carlos possui 1 empresa ou startup para cada 1.421 habitantes, empatando com Israel, que possui 1 para cada 1.400 e superando a média brasileira, que é quase 20 vezes menor: de uma para 33 mil habitantes. Os dados são do Report Sanca Hub, um mapeamento do ecossistema de empreendedorismo da cidade divulgado em 2020.

Atualmente, são 191 startups e empresas de tecnologia, 9 polos educacionais e 200 organizações universitárias na região. Já estes números foram apurados pelo report do IAM Founder, 1º programa de residência para startups em São Carlos, criado há 4 meses. Quem está por trás da iniciativa é Thiago Christof, que já vivenciou todos os perrengues que fundadores de startups geralmente passam. Entre 2013 e 2018 fundou 2 startups (Cidadera e Calamar), que chegaram a quebrar. “No caso da Cidadera, não conseguimos fazer negócio com as prefeituras, já a Calamar tinha um time técnico excepcional, mas na época não conseguimos uma rodada e acabou o dinheiro”, conta ele. Depois disso, trabalhou na área de produto da Movile, nos últimos 2 anos.

Voltando ao IAM Founder, o objetivo do programa é alavancar startups e negócios em estágio inicial com potencial inovador e de impacto. E o melhor, gratuitamente. “É muito mais divertido trabalhar com startups no early stage, pois elas tomam mais riscos, mudam de direção rapidamente, é uma montanha-russa de emoções que me atrai”, diz Thiago.

Equipe da GAIA Greentech, uma das residentes do IAM Founder

Sobre o IAM Founder

Com duração de até 4 meses, o programa oferece acompanhamentos semanais, eventos exclusivos e conexões com mentores e investidores do ecossistema. O conteúdo dos encontros é definido a partir dos dilemas dos founders. Além das mentorias, as startups residentes podem usufruir de 3 espaços coworking parceiros localizados em São Carlos: ONOVOLAB ,Wikilab e Atena Colab (este último, também é um coliving, pago à parte).

O financiamento do programa é de base filantrópica. Via patrocínio de fundos e empresas e por doações de empreendedores. Os investimentos acontecem por meio de um fundo, de valor não divulgado, batizado de IAM Visionary.

Atualmente, 46 residentes e 14 startups de todo o país fazem parte do IAM Founder. “Algo que nos deixou muito felizes é que 37%  das startups em nosso programa são fundadas por mulheres. Este é um dos pilares do IAM, diminuir o quadro de desigualdade no setor”, comenta Thiago. Segundo ele, a projeção é de encerrar o ano com 21 empresas no programa e chegar a 150 até 2023.

Conheça as 14 startups residentes do IAM Founder:

Ana Health (healthtech)
Beyond Space (new space)
Biotrônica (sporttech)
Cheap Food (foodtech)
Corujatec (new space) *ainda não possui site
eumostro (ESG)
GAIA GreenTech (ESG)
Greek (social) *ainda não possui site
Indigo (indtech)
Intellia (healthtech)
MagicBox (HRtech)
Mônada (analytics)
Smartmenu (foodtech)
Ybitec (nanotech)

ANÁLISES

Veja todas as análises