fbpx
Compartilhe

A primeira vez a gente nunca esquece, seja ela qual for. Para uma startup, isso pode ser traduzido pela primeira aquisição de empresa ou captação de recursos. É o caso da Meep, fintech mineira voltada para o setor de lazer e entretenimento – bares e restaurantes, casas noturnas, espaços para eventos, etc. Ela chegou ao mercado em 2015 com a missão de transformar lugares em experiências incríveis, conectando-os às pessoas.

Recentemente, a startup concluiu a compra (de valor não revelado) da IoTickets, solução de ingressos, também de Belo Horizonte. Segundo o presidente da Meep, Samuel Ferreira, era o único gap que precisava ser preenchido para a empresa oferecer uma solução completa de atendimento e pagamento, do ingresso à conta. “Nossas soluções foram criadas no conceito de one stop shop, nas ainda não tínhamos uma solução de ingresso desenvolvida. Decidimos então comprar uma empresa com esse know how para atender toda a jornada de consumo”, conta Samuel.

O portfólio da companhia inclui totens de atendimento; maquininha Meep para pagamentos via cartões de débito e crédito, em parceria com a PagSeguro; e o mais recente lançamento, um aplicativo onde é possível comprar ingressos e fazer a consumação. A novidade está diretamente ligada à estratégia B2B2C da empresa e está sendo lançada primeiro em BH para depois se espalhar por todo o país.

Por falar em consumação, um fato curioso. Lembra daquele boom das casas de espeto, onde você recebia uma fichinha para cada item consumido? Então, a Meep enxergou ali algo totalmente arcaico e a oportunidade para conquistar seu primeiro cliente, um bar chamado Beb’s, com 5 filiais em BH. “Entramos com nossos totens de atendimento que imprimia essas fichinhas de consumo e permitia o pagamento da conta com cartão. Então começamos a ser conhecidos como a Meep do Beb’s”, lembra Samuel. Hoje são mais de 5 mil clientes por todo o país e mais de 2 milhões de pedidos por mês nos equipamentos da empresa.

Momento de expansão

Em crescimento, a Meep está expandindo o negócio pelo Brasil com a abertura de mais 2 filiais, em São Paulo e no Rio de Janeiro, no mês que vem. Além da sede na capital mineira, a empresa conta com escritórios na Bahia e Distrito Federal.

Mas a expansão não se restringe ao país, inclui os EUA. “Devemos abrir escritório na Flórida no início de 2022. Já fizemos parceria com a adquirente One Payment e estamos só esperando as fronteiras serem reabertas para levarmos um time para lá”, diz Samuel. Segundo ele, a operação norte-americana será tocada por um dos sócios que mora na Flórida.

Com o bom momento, a Meep tem expectativas promissoras. A startup espera encerrar o ano com volume total movimentando no mercado (GMV) de R$ 1 bilhão e no mínimo triplicar o valor em 2022. Para o próximo ano, também estima movimentar R$ 500 milhões em pagamentos transacionados pela plataforma (TPV), além de se preparar para sua 1ª rodada de captação. Até o momento, o investimento feito no negócio foi dos próprios sócios (além do Samuel, Getúlio Cavalcante e Henrique Tinti), de R$ 20 milhões.

ANÁLISES

Veja todas as análises