fbpx
Compartilhe

A nova captação de US$ 300 milhões feita pelo Nubank é um indicativo dos planos da fintech para os próximos 12 a 18 meses. O reforço no caixa da ordem de R$ 1,6 bilhão mostra que a companhia tem planos ousados. A questão é se eles são de proteção para um eventual cenário negativo da economia, ou de aceleração do crescimento.

Na verdade, o que deve acontecer é um pouco dos dois. Para manter o ritmo de crescimento acelerado, o neobank tende a retomar os esforços de marketing e em sua expansão internacional, ao mesmo tempo em que se protege de uma alta na inadimplência resultante das dificuldades da economia.

Dificuldades que ainda estão longe de estarem completamente dimensionadas uma vez que a economia global está girando sob efeito de pacotes de estímulo de governos. O que acontecerá quando eles forem reduzidos ou retirados?

O Nubank não deu detalhes (oficialmente, nem comentou a captação) sobre quem foram os investidores da atual rodada. Mas a sinalização é que foram fundos que já estão na base. O timing pode ser um indicativo de expectativas. Com investidores que fazem cheques grandes ainda receosos de colocar dinheiro em novos ativos, seria melhor uma captação dentro da atual base de acionistas para concretizar alguns planos e, daqui alguns meses, levantar uma nova rodada com um valuation maior.

ANÁLISES

Veja todas as análises