fbpx
Compartilhe

A fintech Conta Simples contratou dois novos executivos para dar suporte à implementação de operações de crédito entre os seus serviços. Com vasta experiência no mercado financeiro, o administrador Altemar Coelho e o engenheiro da computação Stenyo Lago assumem, respectivamente, os cargos de diretor de Crédito e diretor de Tecnologia e Produto.

Formado em Administração, com MBA em Finanças pelo Insper e 27 anos de experiência em análise e concessão de crédito, Altemar Coelho tem passagem por grandes instituições como Bradesco, Itaú BBA, Unibanco e BV, onde ocupou a posição de Gerente Executivo de Crédito.

Na Conta Simples, ele terá a missão de implementar a área de crédito. A princípio, a Conta Simples terá duas ofertas em sua prateleira: cartão de crédito e empréstimos. Posteriormente, irá ampliar para outros produtos. “Chego com o objetivo de aliarmos o crédito a todo o nosso diferencial de sistema de gestão financeira, já consolidado no mercado, fazendo com que a Conta Simples seja ainda mais parceira e estratégica para seus clientes, em todas as suas etapas de modernização”, disse Altemar em comunicado.

Do lado de tecnologia e Produto, o engenheiro da computação Stenyo Lago vem reforçar esse novo passo da fintech. Com MBA pelo Ibmec e especialização nas universidades de Boston e Harvard (Estados Unidos) e Curtin (Austrália), o novo diretor acumula no currículo a experiência de Chief Product Technology Officer (CPTO) na unicórnio Arco Educação, empresa listada na Nasdaq. Também passou pelo Itaú Unibanco, Acxion Consulting e Abril Comunicações.

“No contexto da Conta Simples, tecnologia é potencializador de produtos e serviços financeiros. Produtos de crédito serão mais um facilitador para nossos clientes, assim como os múltiplos cartões são hoje. Além disso, vamos continuar aperfeiçoando nossa camada de software para que ela seja cada vez mais focada na jornada e nas dores de gestão de nossos usuários”, disse Stenyo em comunicado.

Conta Simples, em breve, uma SCD

As contratações fazem parte do processo de aquisição da licença para que a Conta Simples se torne uma Sociedade de Crédito Direto (SCD). O processo já está em análise no Banco Central. “Essa nova etapa da Conta Simples exigiu que trouxéssemos nomes de peso, com vasta experiência em cenários complexos, para nos auxiliar na oferta de produtos de crédito e avançar com nosso sistema operacional financeiro, e assim alavancar ainda mais os negócios de nossos clientes”, disse Rodrigo Tognini, presidente e cofundador da Conta Simples, em comunicado.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões