fbpx

Junte-se agora e acesse (antes de todos) as principais notícias de tecnologia e startups. clique aqui

300 Bank, banco digital focado em franquias, aposta em serviços personalizados e taxas menores

Multiplicar Investimentos e a 300 Franchising criam operação para atender demanda pouco explorada pelos grandes bancos

Por Fabiana Rolfini, em 1 de junho de 2021

0Shares

Melhorar os processos financeiros das franquias brasileiras de forma personalizada. Este é o propósito do 300 Bank um dos (muitos) mais novos bancos digitais na praça. Este com foco em redes de franquias. A iniciativa é fruto de uma parceria entre as holdings Multiplicar Investimentos e 300 Franchising. O investimento inicial das empresas no novo negócio foi de R$ 10 milhões e cada uma deterá 50% da operação.

O 300 Bank oferecerá diversos serviços bancários com tarifas até 50% menores e centralizadas, incluindo capital de giro, crédito vinculado ao faturamento (com antecipação de recebíveis) e empréstimos consignados para os funcionários, além de transações via Pix. Tudo isso oferecido por meio de máquinas de cartão, internet banking e aplicativo próprio, que estarão disponíveis em breve. Toda tecnologia foi desenvolvida dentro de casa.

A estrutura de banco será da Multiplicar, que atua na oferta de banco como serviço (BaaS). Já a 300 Franchising, fundada em julho de 2019 pelos irmãos Leonardo e Leandro Castelo, reúne 67 marcas de vários setores. Das 4,6 mil unidades comercializadas até hoje, mais de 2 mil estão implantadas. Em 5 anos o objetivo é ter 300 marcas sob seu guarda-chuva.

“O banco foi criado para atender a demanda específica das franquias no país. Os bancos tradicionais não enxergam tão a fundo as necessidades dos franqueados, como, por exemplo, capital de giro para reforma e expansão de uma nova unidade”, diz o presidente da Multiplicar Investimentos, Daniel Corrêa, que também fará parte do conselho diretivo do 300 Bank, junto a Leonardo, fundador da 300 Franchising.

São 100 mil clientes iniciais (franquias da 300 Franchising). Primeiramente a cadeia de funcionários das franquias terão acesso ao banco, depois os seus familiares, e então os clientes das redes. A meta é movimentar R$ 800 milhões no primeiro ano de operação.

Segundo Leonardo, levou apenas 5 meses da negociação à criação do 300 Bank. Ele lembra que ao participar de sua primeira feira de franquia, ainda sem entendimento em como crescer, foi abordado por um grande banco. “A instituição até atinha alguns produtos para o segmento de franquias, mas os processos eram muito demorados. Então percebi uma oportunidade de focar nesse nicho e procurei a Multiplicar para criar uma solução que atendesse a demanda específica das franquias no país”, conta.

Sobre a concorrência com outros bancos digitais, os executivos acreditam ser inevitável, mas é algo saudável. Como o 300 Bank será nichado, de início trabalharão com a base já estabelecida para depois, de fato, se jogarem no mar com grandes tubarões.

Jornalista com 10 anos de experiência no mercado de TI corporativa dedicados à apuração e produção de reportagens sobre tecnologia, negócios, finanças e carreira, incluindo a cobertura de eventos internacionais. Tem passagens por veículos e empresas de mídia de destaque do segmento, como TI Inside e IT Mídia.

error: Este é um conteúdo protegido por direitos autorais