fbpx
Compartilhe

Um dos focos da Movile após receber R$ 1 bi de sua controladora Prosus é o mercado de games, com a Afterverse. A marca nasceu no fim de 2020 dentro da PlayKids e seu 1º jogo desenvolvido foi o Crafty Lands, inspirado no sucesso de Minecraft. Em maio deste ano, a empresa se tornou uma operação independente com o sucesso de seu 2º jogo, o PK XD, que tem 46 milhões de usuários mensais ativos (MAUs, na sigla em inglês) no mundo e recentemente completou seu 2º aniversário.

E não faltam motivos para comemorar. Nos últimos 9 meses o game conquistou 16 milhões de novos usuários mensais e sua receita mais que dobrou. A companhia ganha dinheiro com a venda de itens virtuais usados pelos jogadores e também com anúncios apresentados nos jogos. Se depender do bom desempenho até agora, não deve demorar para a Afterverse atingir seu maior objetivo. “O nosso grande sonho é alcançar 100 milhões de usuários (MAUs) nos próximos anos, ser o primeiro game brasileiro a atingir esse patamar”, contou Breno Masi, presidente da empresa, em bate-papo virtual com jornalistas hoje.

O game em formato sandbox permite ao usuário criar um avatar em um mundo imaginário e realizar diversas atividades, como frequentar a escola e participar de competições, além de interagir com pessoas do mundo inteiro. Recentemente, foi incluída a possibilidade do jogador criar seu próprio mini-game dentro do PK XD. Hoje a maior audiência do game está acima dos 12 anos. E pasmem, a maioria são meninas.

Segundo Breno, Brasil, EUA e México brigam pela 1ª posição em número de MAUs. A maior parte da receita com o jogo vem de países tier 1. A monetização é feita por publicidade inserida em alguns momentos no game, além da venda de moedinhas/gemas para compra de alguns itens especiais, que podem ser usados para customização da casa e dos avatares.

Expansão do PK XD

Para acompanhar a expansão do jogo e acelerar seu desenvolvimento, a Afterverse planeja fechar 2021 com um time de mais de 200 pessoas. A empresa iniciou as atividades com 30 profissionais e hoje conta com 170.

Por ser uma empresa debaixo do guarda-chuva da Movile, faz todo sentido pensar em sinergias com outras empresas do grupo como iFood Sympla. Apesar da possibilidade, Breno não enxerga isso como prioridade, por enquanto. “Podemos pensar em sinergia com a Sympla tanto com a venda de conteúdo ou de ingresso. Para uma Movile Pay mais robusta, pensar em algo financeiro no PK XD. É possível, mas dificilmente teremos algo neste sentido nos próximos 12 meses”, afirmou.

Enquanto isso não acontece, ele antecipa uma novidade interessante que vem por aí. “Estamos em conversas com fabricantes de console para levar o PK XD para novas telas até o fim de 2022”, revelou o presidente da companhia.

ANÁLISES

Veja todas as análises