fbpx
Compartilhe

Faltando pouco menos de 2 meses para o fim do ano, a healthtech Alice bateu a meta de chegar a 5 mil clientes atendidos em 2021. A marca foi alcançada no começo da semana, segundo pessoas próximas à operação. O último dado oficial disponível, referente a setembro, indicava 3.942 clientes.

O resultado representa um crescimento de quase 10 vezes na base no 1º ano completo de operação do plano de saúde que não quer ser visto dessa forma. A Alice prefere ser chamada de gestora de saúde.  

No fim de 2020, a companhia tinha 660 clientes, segundo dados da ANS. Em fevereiro, quando anunciou sua rodada de série B, de US$ 33,3 milhões, em fevereiro, a companhia falava em 1,1 mil. Em conversa com o Startups na semana passada, o cofundador da companhia, André Florence, tinha dito que iria “bater com folga” a meta de 5 mil membros – que é como a Alice chama seus clientes.  

Modelo de operação da Alice

A healthtech chegou ao mercado em meados do ano passado com a proposta de atuar no modelo atenção primária com o que ela chama de “time de saúde” – um grupo formado por médicas(os), enfermeiras(os), nutricionistas e preparadores físicos que acompanham as pessoas, não apenas fazem atendimentos quando elas precisam. Os atendimentos podem ser iniciados pelo aplicativo e também acontecem na Casa Alice, um espaço próprio montado na zona Sul de São Paulo.

A operação começou voltada apenas à venda de planos de saúde individuais, mas a companhia abriu, recentemente, a possibilidade de empresas também contratarem para seus funcionários. No movimento mais recente, a Alice abriu sua plataforma para a compra de serviços avulsos.

ANÁLISES

Veja todas as análises