fbpx
Compartilhe

A Alice fechou a compra da Cuidas, uma healthtech que tem uma proposta de atenção primária voltada ao mundo corporativo. Com a operação, que não teve o valor revelado, a Alice entra de vez no mundo das empresas.

A companhia, que nasceu com um plano individual, contratado por pessoas, começou a testar as águas no mundo corporativo há alguns meses liberando a opção para que empresas contratem planos para seus funcionários.

O valor da operação não foi revelado e tudo indica ter se tratado de um acqui-hire, quando uma empresa absorve o time e as tecnologias de uma outra companhia. Deborah Alves, João Vogel e Matheus Silva fundadores da Cuidas passam a integrar a equipe da Alice e a marca da startup nascida em 2018 deixa de existir. A Cuidas atende cerca de 20 empresas.

Em pé, da esquerda pra direita: Deborah Alves (co-fundadora da Cuidas), Matheus Moraes (do-fundador da Alice), João Vogel (co-fundador da Cuidas). Sentados, da esquerda pra direita: Gui Azevedo e André Florence, co-fundadores da Alice

“A Alice tem por pilares saúde mental, sono, alimentação e atividade física, que são exatamente os desafios que as empresas têm com seus funcionários, sobretudo desde o início da pandemia. A Cuidas significa um reforço em nossas equipes para atender a essa demanda”, disse Andre Florence, cofundador e presidente da Alice, em comunicado. “É possível ter funcionários mais felizes e saudáveis dentro das empresas”, completou.

Alice e Cuidas tinham como investidor em comum a Kaszek. A gestora participou da 1ª rodada da healthtech, de R$ 5 milhões, junto com a Canary, em 2018. Ano passado, ela dobrou a aposta em mais um aporte, de R$ 17 milhões, feito com a Península, a empresa de investimentos de Abílio Diniz e Jorge Paulo Lemann.

Desde que começou a operar, no 2º trimestre de 2020, a Alice tem apresentado um crescimento acelerado. Há duas semanas, ela atingiu antecipadamente a meta de chegar a 5 mil clientes em 2021.

ANÁLISES

Veja todas as análises