fbpx
Compartilhe

A construtora Andrade Gutierrez selecionou 8 startups para participar do 4º ciclo do Vetor AG, programa de inovação aberta que visa trazer soluções inovadoras para as obras e áreas corporativas da companhia. As escolhidas da vez você lê, em primeira mão, aqui no Startups. São elas: Algibit, Beezer, Exy, GaussFleet, GripMaster, PW Tech, RIS3D e Gestão Engenharia

“O setor de engenharia e construção é um dos menos digitalizados e ainda bastante tradicional. Por isso, as startups são de extrema importância para que a gente traga as tecnologias para os canteiros de obras”, afirma André Medina, Gerente de Inovação da Andrade Gutierrez. “As startups trazem uma visão mais inovadora, promovendo grandes resultados nas obras e permitindo transformar todo o setor”, completa.

Mais de 190 empresas de diferentes países se inscreveram para o 4º ciclo do programa. Segundo a AG, a seleção busca startups voltadas para a Indústria e Engenharia 4.0, cujas soluções resolvam desafios de internet das coisas, automação da construção, gestão remota e construção modular. Os critérios levam em conta a equipe, maturidade do negócio, preparo da empresa e a inovação oferecida.

As finalistas terão os próximos 6 meses para testar suas soluções nas obras da Andrade Gutierrez, companhia focada em engenharia de grande porte e alta performance, com mais de 900 projetos no portfólio, incluindo ações para a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos de 2016.

Desde a sua criação, em 2018, o Vetor AG fez mais de 1.000 conexões com startups e acelerou mais de 25 iniciativas, 15 das quais foram contratadas pela companhia. A expectativa para 2022 é que o Vetor AG continue sendo pioneiro em inovação e potencializando a Engenharia 4.0, prioridade para a empresa no momento.

Sobre as escolhidas

Criada em 2018 por Dmitry Gordienko, a norte-americana Algibit (a única estrangeira da lista) desenvolveu um sensor ultrassônico para monitoramento da resistência à compressão do concreto, a fim de tornar o processo mais preciso e rápido que o método tradicional. Já a Beezer é uma plataforma brasileira para gerenciamento de frotas que permite que os colaboradores acessem o sistema de transporte oferecido para se deslocarem de suas casas até os locais de trabalho.

Direto de Curitiba está a Exy, que busca aumentar a produtividade através do uso de exoesqueletos industriais que diminuem o esforço do usuário em até 40%, além de reduzir o afastamento no canteiro de obras por Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho. A GaussFleet, de São Paulo, é uma plataforma que usa internet das coisas, geoprocessamento e telemetria avançada para aumentar a produtividade, compliance e segurança na logística interna.

Além delas, tem a GripMaster Brasil, que criou uma tecnologia a base de polímero que substitui o ar em pneus, aumentando a durabilidade dos mesmos e a segurança e produtividade dos veículos, e a brasileira PW Tech, que desenvolveu um euipamento modular purificador de água de alta vazão e baixo custo, capaz de tornar águas não potáveis e até contaminadas em próprias para o consumo humano.

Fecham a lista a paulistana RIS3D, que oferece varredura por laser scanning trazendo de maneira 100% fidedigna como as tubulações e equipamentos estão construídos, e a mineira Gestão Engenharia, um sistema de aerolevantamentos via Lidar para minimizar custos com planejamentos e fazer mapeamento topográfico de áreas inacessíveis e difíceis.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões