fbpx
Compartilhe

O Nubank abriu a carteira para adquirir mais uma empresa, enquanto se prepara para o IPO na Nasdaq – será que vale até US$ 100 bilhões, como tem se ventilado?. O neobank anunciou hoje a compra da Spin Pay, fintech de pagamentos instantâneos que oferece suporte para compras via Pix no comércio eletrônico. A transação, que não teve o valor revelado, é um reforço para a estratégia B2B da companhia, e marca sua estreia na área de pagamentos eletrônicos para o ecommerce. O serviço da companhia pode ser oferecido dentro do pacote da conta para empresas, a Nubank PJ, por exemplo.

As operações seguem independentes e a Spin Pay funcionará como unidade separada de negócios, trabalhando no desenvolvimento de tecnologias alinhadas com o propósito do Nubank. Criada em 2019 por Felipe Park, Marcelo Mingatos e o cofundador do Neon, Alan Chusid, ela tem como clientes mais de 220 varejistas de diferentes setores, como lojas de departamento, eletrônicos e companhias aéreas. Lojas Renner, Cobasi, e a companhia aérea Gol, são alguns dos seus clientes. A solução está disponível nas plataformas de e-commerce VTEX, Loja Integrada e em breve na Shopify Plus. A companhia tinha como investidores o Canary, a aceleradora Techstars Seattle e o Quartz e e levantou US$ 120 mil, segundo o Crunchbase.

Movimentações do Nubank

O Nubank tem estado bem ativo nos últimos meses, colocando pra trabalhar os bilhões captados em sua rodada mais recente – e preparando o terreno para o valuation do IPO no fim do ano, começo do ano  que vem. Antes da Spin Pay, o neobank adquiriu a americana Juntos Global e coliderou uma série B de US$ 44 milhões na fintech indiana Jupiter.

Em junho, o neobank atingiu valor de US$ 30 bilhões em uma extensão da série G anunciada em janeiro, ao levantar mais US$ 750 milhões. Com a transação, a empresa subiu 3 posições no ranking dos unicórnios mais valiosos do mundo, passando a ser o 7º.

Ano passado já tinha rolado a entrada no setor de investimentos com a compra da Easynvest (que agora é Nu Invest) além de ter adquirido a americana Cognitect, desenvolvedora da linguagem de programação Clojure, usada pela fintech, e integrou a equipe da Plataformatec, consultoria especializada em método ágil e em desenvolvimento e gerenciamento de produtos.

ANÁLISES

Veja todas as análises