fbpx
Compartilhe

Para os teóricos mais entusiasmados da tal da bolha das startups, temos uma informação que pode reacender o assunto. O mais recente levantamento do Crunchbase constatou um recuo global em venture funding no primeiro trimestre de 2022, quebrando a escrita positiva de 2021, quando foram registrados crescimentos sucessivos a cada trimestre.

Segundo os dados do relatório, foram investidos no período cerca de US$ 160 bilhões. O montante representa uma queda de 13% em relação aos US$ 184 bilhões contabilizados no último quartil de 2021. Foi o maior valor até então levantado em qualquer trimestre, em qualquer ano.

O levantamento também registrou uma queda no número de novos unicórnios globais no primeiro trimestre. Foram 129 startups que chegaram ao valuation bilionário, menos que as 146 novas entrantes no último trimestre do ano passado e as 132 coroadas de janeiro a março de 2021.

Voltando a falar de investimentos, o volume em seed capital foi o único que cresceu em relação ao último trimestre de 2021, fechando em US$ 10,3 bilhões. A bem da verdade, foi um crescimento de apenas 1%, mas um salto considerável se comparado ano a ano. No primeiro quartil de 2021, foram apenas US$ 7,1 bilhões investidos.

Nos aportes early-stage, a queda foi de R$ 63,3 bilhões para US$ 51,9 bilhões – um recuo de 18%. Já no late-stage a queda foi de 12%, ficando em US$ 98 bilhões no primeiro trimestre – de outubro a dezembro de 2021 o total de investimentos chegou a US$ 110,9 bilhões.

Mercado em retração?

Mas isso quer dizer que a luz amarela acendeu para o setor? Para os especialistas do Crunchbase ainda é cedo para cravar uma afirmação dessas – até porque em comparação com o primeiro trimestre de 2021, o mais recente período teve um crescimento de 7%.

A explicação pode estar no ritmo acelerado que novas empresas foram ao mercado em 2021, dando um salto gigantesco no valor de investimentos realizados. O ano passado fechou com US$ 669 bilhões investidos, contra apenas US$ 335 bilhões em 2020.

Mesmo assim, os analistas apontam que alguns impactos podem ser sentidos, principalmente em investimentos late-stage e no valuation. Um exemplo disso pode ser visto nos “decacórnios” globais – empresas cuja valoração de mercado ultrapassa os US$ 10 bilhões. No primeiro trimestre de 2021, 37 empresas ganharam esta avaliação. Corta pro último trimestre e temos apenas 7 novos negócios com este posto. As coisas mudam rápido.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões