fbpx
Compartilhe

Nascida na Argentina, a Nubimetrics encontrou no Brasil o seu principal vetor de crescimento. Em 2020 a startup estruturou a sua operação local, e desde então vem registrando números significativos. No último ano, a empresa teve um crescimento de 102% na sua receita no país.

Apesar de não abrir números de faturamento, hoje a startup já tem em terras canarinhas cerca de 40% de sua receita. No último ano, a empresa intensificou o crescimento orgânico que já tinha conquistado de forma orgânica de 2017 até 2020. Antes ela disponibilizava seu app para vendedores em plataformas como Mercado Livre, mas não tinha um time dedicado ao país.

Contudo, na visão da Chief Revenue Officer (CRO) da empresa, a brasileira Juliana Vital, a empresa ainda está começando em relação ao potencial de crescimento por aqui. Segundo ela, a fatia do Brasil deverá chegar aos 50% do faturamento total da marca, com a meta de aumentar a receita local em mais de 200%.

“O Brasil é o mercado de ecommerce mais maduro da América Latina, andando em passos bem mais velozes que outros países da região”, explica a CRO ao comentar como o país se tornou a “menina dos olhos” para a startup.

É uma história semelhante à de outra startup que nasceu “hermana”: a Nuvemshop (Tiendanube) evoluiu tanto no varejo eletrônico brasileiro que chegou a se naturalizar brazuca, trazendo sua matriz para São Paulo e se tornando um dos unicórnios locais.

Segundo a executiva, Argentina vem na sequência como outro mercado importante para a Nubimetrics, com México e Colômbia também se destacando. A startup também tem presença em 13 outros países da região, além de Estados Unidos e China.

Inteligência no marketplace

Sob um modelo de software as a service (SaaS), a Nubimetrics processa informações do Mercado Livre em 18 países, apoiada em inteligência artificial proprietária e ferramentas de Big Data. Desta forma, a startup oferece às marcas e empresas informações e previsões em tempo real sobre a evolução da procura nas diferentes categorias comercializadas.

Segundo a CRO, hoje a marca opera com dois tipos de clientes: os vendedores (merchants) e grandes marcas (enterprises). Na primeira categoria, vendedores do ML podem assinar o produto da Nubimetrics para ter insights sobre o marketplace e agir para melhorar suas vendas.

Para os clientes corporativos, o foco da Nubimetrics reside em ajudar estas marcas a entenderem melhor o comportamento de venda dos seus produtos na plataforma do ML, seja em lojas próprias das marcas ou via revendedores.

Juliana Vital, Chief Revenue Officer da Nubimetrics no Brasil

“Mais de 50% das vendas no ecommerce hoje acontecem no marketplace. É um caminho sem volta. E para quem não vende diretamente, é fundamental entender a dinâmica de quem está vendendo seus produtos nestas plataformas” explica Juliana.

Nova rodada vem aí

Atualmente, a empresa está investindo para aumentar a sua penetração junto a clientes enterprise. No último ano, a companhia já aumentou de 40 para 140 o seu time no Brasil, incluindo novos executivos de venda para apoiar nesta estratégia. Este primeiro impulso se deu em função de um investimento série A liderado pelo fundo uruguaio IC-Ventures.

No entanto, para ter mais gás para atingir suas ambiciosas metas, assim como intensificar o ritmo de crescimento no Brasil e em outros países latino-americanos, um novo aporte deve sair em breve.

“Já estamos em negociações para uma série B, que nos ajudará a acelerar ainda mais neste e no próximo ano”, destacou a executiva, sem entrar em maiores detalhes.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões