fbpx
Compartilhe

A Arquivei, plataforma brasileira de gestão de documentos fiscais, levantou uma série B de US$ 48 milhões (aproximadamente R$ 260 milhões). A startup é responsável por tramitar 13% de todas as NFes no Brasil e movimentou R$ 1 trilhão de valor transacionado dentro da base de clientes em 2021.

O aporte foi liderado pelo fundo de venture capital norte-americano Riverwood Capital, que já investiu nas empresas Petlove&Co, Omie, DigitalHouse, Sensedia e VTEX. “O Riverwood é um parceiro com visão global, que tem grandes cases com empresas brasileiras que fizeram IPO fora do país. Essa é uma das nossas estratégias no longo prazo, embora ainda não tenhamos uma data de quando deve acontecer”, diz o diretor-executivo do Arquivei, Christian de Cico.

Também participaram da rodada a gestora de investimentos Constellation e os fundos NXTP e Endeavor Catalyst. O International Finance Corporation (IFC), do Banco Mundial, também acompanhou o aporte, com o objetivo de incentivar o crescimento do setor privado nos países em desenvolvimento.

Use of proceeds

Segundo o Arquivei, os R$ 260 milhões vão ser usados para contratar mais 150 colaboradores no próximo ano, alcançando a marca de 400 funcionários em 2022. A maior parte das contratações será feita nas áreas de produto, marketing e tecnologia.

A companhia quer investir em novos produtos e soluções. Um exemplo é o marketplace B2B, onde as empresas poderão achar os melhores fornecedores para determinado produto. “Queremos revolucionar a forma como empresas compram e vendem no B2B. Temos 7 milhões de companhias mapeadas, o que nos dá um número alto de produtos para colocar na plataforma”, diz Christian.

A estratégia também está alinhada com a parte de serviços financeiros. “Não no sentido de emprestar dinheiro. Mas na relação financeira entre duas empresas”, explica o empreendedor. Ele cita o Mercado Livre como exemplo, que tem um sistema de trust and safe que gera confiança para os usuários na hora de fazer uma compra. “Nosso objetivo é ajudar as empresas a terem uma relação mais saudável entre si, tornando a transação entre elas muito mais eficiente.

A estratégia M&A não deve ficar de fora. A incorporação de novas empresas deve acontecer para aumentar os recursos do portfólio. “Procuramos companhias com valor agregado, que nos ajudem a chegar no objetivo final: ser a plataforma completa que a gente sabe que pode ser.”

Mais do que novos produtos, Christian também está de olho no quadro de funcionários. “O mercado tem muitos talentos fazendo coisas interessantes. Queremos que eles participem do nosso sonho e já entrem nesse foguete com o tanque aquecido para decolar.”

Sobre o Arquivei

Fundada em 2013 por Christian de Cico, Vitor de Araujo, Isis Abbud e Bruno Oliveira, a startup tem como missão dar suporte ao compliance fiscal e transformar obrigações fiscais em otimização e inteligência para empresas de forma rápida, acessível e confiável. Para isso, a companhia desenvolveu um software que disponibiliza o armazenamento, consulta, download e gestão de documentos fiscais.

“Outras empresas do setor tratam a nota fiscal como um arquivo. Nós olhamos para ela como informação. Para uma pessoa física, o mais importante é a descrição do produto. Para o financeiro, é entender o meio de pagamento utilizado. Para o tributário, ver se a alíquota está correta. É um documento com diversas caras”, diz Christian. “O Arquivei surge para organizar todas essas informações e torná-las úteis para qualquer pessoa.”

Hoje, a ferramenta gerencia documentos fiscais de 15 mil clientes, 250 funcionários e 100 mil empresas, entre micro, pequenas, médias, grandes e escritórios contábeis. O sistema é integrado à Secretaria da Fazenda Nacional e  a prefeituras de todo o país.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões