fbpx
Compartilhe

A foodtech LET’S Delivery, consultoria e desenvolvedora de software de gestão de delivery, levantou R$ 2,1 milhões em uma rodada pre-seed. Participaram do aporte um fundo de investimentos de SP (que não pode ser revelado por questões contratuais), um family office de Ribeirão Preto, além de Flávio Dias (ex-Via Varejo) e Marcos Ferreira (ex-MAPFRE).

Segundo o presidente da LET’S Delivery, André Mortari, a maior parte da grana será destinada à tecnologia. “Queremos tornar nosso produto mais robusto, por isso 60% do aporte será usado para ampliar o time de desenvolvimento, hoje composto por 30 profissionais”, conta André. Os 40% restantes serão distribuídos em infraestrutura e para aumentar a força de vendas.

O produto citado é o software de gestão LET’S Delivery Max. Lançada em julho, a solução usada por mais de 100 restaurantes permite unificar todos os pedidos e apps de delivery (iFood, Rappi, Uber Eats, etc) em uma única ferramenta. Dessa forma, o restaurante consegue organizar a produção, ter visões de performance, alterar cardápios e o horário de funcionamento da casa a partir de um único sistema.

Além do software, a foodtech presta consultoria, oferecida pontualmente aos clientes, ou por demanda direta. Aliás, a LET’S Delivery foi criada em 2018 como uma consultoria focada em capacitar profissionais da gastronomia.

Segundo André, a virada de chave se deu em 2020, com novos sócios, ainda no âmbito familiar, mas com foco voltado para tecnologia. “Investimos pouco mais de R$ 500 mil entre os 5 sócios para mudar o modelo de negócio e iniciar a construção do Max”, conta.

Expectativas e novidades

Hoje a LET’S Delivery conta com 45 colaboradores de diversas regiões do Brasil e pretende fechar 2021 com 60 funcionários e 1 mil clientes na base. A foodtech também deve lançar até o fim do ano produtos de seguro para restaurantes. A empresa já iniciou parceria com uma seguradora, mas prefere não revelar os detalhes ainda.

André considera que 2022 será o ano de consolidação e crescimento. A expectativa é de faturar R$ 25 milhões no ano que vem e manter uma crescente nos próximos. “Queremos revolucionar a alimentação dando subsídio para que restaurantes tomem as melhores decisões”, diz André.

Em um futuro não tão distante, a empresa quer ampliar as ofertas em seu software com uma solução de empréstimo. Alguns investidores já estão sondando a LET’s, mas isso fica para uma próxima matéria.

André Mortari, presidente da LET´s Delivery

ANÁLISES

Veja todas as análises