fbpx

Com “vale do coronavírus”, Vision Fund, da SoftBank, registra prejuízo multibilionário

SoftBank vale coronavirus
Compartilhe

Um dos fundos em investimento em startups mais ativos (e endinheirados) dos últimos tempos, o Vision Fund, da SoftBank, registrou um prejuízo de US$ 17,7 bilhões no ano encerrado em 31 de março.

Como um todo, a SoftBank apresentou um prejuízo de US$ 8,8 bilhões.

Pesaram no resultado do Vision Fund, principalmente, as perdas de valor de mercado do Uber (menos US$ 5,2 bilhões) e do WeWork (US$ 4,6 bilhões). A companhia de escritórios, aliás, já foi avaliada em US$ 47 bilhões, valia US$ 7,9 bilhões no fim do ano passado e agora está em US$ 2,9 bilhões.

Com o desempenho do ano, o fundo de US$ 100 bilhões apresenta um retorno negativo de 6%. Dentro da visão de 100 anos colocada por Masayoshi Son, fundador da SoftBank, para seus investimentos, esse desempenho poderia ser considerado um soluço ou mesmo ser desconsiderado.

O investimento em venture capital assume que os retornos são de longo prazo e que a maior parte das escolhas dará errado, sendo compensada por bons ativos escolhidos ao longo do tempo. Assim, o Vision Fund ainda teria um tempo para se provar. Mas os primeiros sinais dão munição aos críticos da estratégia agressiva desenhada por Masa Son.

No que chamou de “vale do coronavírus”, o executivo disse durante apresentação para investidores que muitos empresas vão ficar para trás, mas quis deixar uma mensagem positiva pontuando que a recuperação da economia global será liderada por tendências como encontros online, entrega de comida, educação a distância, telemedicina, comércio eletrônico e serviços de vídeo pela internet.

SoftBank

Ele fez um paralelo com a Grande Depressão, de 1929, quando tecnologias novas para a época, como os automóveis, a produção de eletrônicos, o petróleo, a manufatura, a eletricidade e a comida processada ajudaram na retomada.

O Vision Fund é composto por 88 empresas. A maior parte do portfólio (40%) está concentrada no segmento de transporte e logística.

Ao longo do último ano, o fundo fez 20 investimentos novos, com um total de US$ 17,1 bilhões comprometidos. Cinco companhias foram para a bolsa: Uber, Slack, 10x Genomics, Vir Biotechnology e OnecOnnect Financial Technology.

A SoftBank vinha tentando captar segundo Vision Fund, com previsão inicial de chegar a US$ 130 bilhões para investir. Mas o processo de captação foi paralisado diante das dificuldades da companhia em convencer os investidores a colocar recursos.

ANÁLISES

Veja todas as análises