fbpx
Compartilhe

Fala a verdade, você já se surpreendeu com a quantidade de serviços de assinatura em sua fatura do cartão, não é mesmo? Muitos deles você nem se lembrava da existência. Pois é, estamos gastando tanto na recorrência que não nos damos conta do quanto desembolsamos com assinaturas e planos mensalmente.

Essa é a realidade de grande parte dos brasileiros descoberta na pesquisa “Como os brasileiros consomem assinatura” realizada pela fintech de gestão de assinaturas Vindi com 1.659 respondentes, incluindo leitores e leitoras do Startups. E não são apenas 1 ou 2 serviços pagos por mês. Metade dos participantes (50,6%) disseram que assinam ou pagam recorrentemente de 6 a 10 serviços.

Para se ter ideia, 69% gasta mais de R$ 100,00 com assinaturas e mensalidades, enquanto o percentual dos que gastam mais de R$ 300,00 é 2,8 vezes maior do que o do público que gasta até R$ 50,00.

Engana-se quem pensa que streaming de filmes, séries e vídeos são os principais serviços pagos mensalmente. Com 95,6% das respostas, eles ficam atrás das contas de consumo e telecomunicações (99,6%). Em seguida aparecem os serviços de música (82,9%) e de entretenimento (71,8%). A mensalidade paga com associações foi apontada para apenas 8,1% dos respondentes.

Sobre os benefícios que o público procura nos serviços recorrentes, a pesquisa de assinaturas mostra que a experiência diferenciada ao acessar o serviço ou consumir o produto (39,8%) e a possibilidade de pagar somente pelo uso do produto ou serviço (29,1%) são os mais buscados.

Com base nas respostas, a Vindi conseguiu ainda identificar o perfil dominante de consumo de assinaturas e serviços recorrentes: homem (66,4%); entre 26 e 40 anos (64,1%); com renda familiar alta (46,5% ganham acima de R$ 10 mil); e morador da Região Sudeste (71%).

Os números comprovam. O consumidor está mais maduro para consumir serviços de forma diferente e as empresas têm inúmeros caminhos para adotar modelos recorrentes e lucrar com isso.

ANÁLISES

Veja todas as análises