fbpx
Compartilhe

A fintech Conta Simples contratou Guto Quirós como seu novo diretor de marketing. O executivo tem passagem pela Ambev, BRMalls e, mais recentemente, Rappi, onde atuou por cerca de 2 anos como general manager e líder de marketing.

“Está ficando cada vez mais caro adquirir clientes, e a maioria das empresas está usando as mesmas técnicas: mídia paga e anúncios nas redes sociais. Mas eu venho de um background de marketing de guerrilha”, afirma o executivo, em entrevista ao Startups. Guto aposta no modelo de flywheel: oferecer uma experiência incrível ao usuário, gerando encantamento e o transformando em um evangelizador da marca.

O especialista é formado em administração de empresas pela Fundação Getulio Vargas, mas foi na prática que realmente aprendeu o que sabe sobre a área. Em 2015, Guto fundou a Quirós Gourmet, empresa familiar focada na produção sustentável de cordeiros. “Tive que construir a marca do zero, em um nicho muito pouco explorado – da ovinocultura”, relembra. 

A estratégia foi criar uma experiência única, com cursos e visitas à fazenda, mesclados a uma comunicação de storyteling, marketing de influência, linguagem atrativa e primal branding – relacionado à construção de comunidades. “Essa é uma ferramenta poderosa, em que a empresa cria evangilizadores e faz com que o boca a boca seja sua maior ferramenta de aquisição de clientes”, pontua.

Planos para a Conta Simples

São esses pilares que Guto quer levar para a Conta Simples, com a missão de atrair e reter clientes via encantamento e criar uma grande comunidade de empreendedores de negócios digitais ao redor da fintech. “Se você tem clientes que amam e são apaixonados pela sua marca, eles vão fazer o marketing por você”, diz o executivo.

Ele cita atitudes simples como mandar mensagens no aniversário, conhecer os hobbies e enviar caixas para parabenizar pelo nascimento do filho. “Só uma companhia que se preocupa de forma genuína consegue entregar isso, e o cliente nunca vai esquecer, porque cria uma relação emocional que vale muito mais do que qualquer coisa”, explica Guto.

O posicionamento tem que estar alinhado ao que ele chama de um “serviço perfeito” – um produto completo, com atendimento personalizado e que realmente atenda às necessidades dos clientes. Para isso, o primeiro passo é ouvir a dor dos empreendedores, ter um interesse real em ajudá-los e solucionar o problema. “Além disso, é fundamental ter um propósito de marca muito claro, explicando quem somos, o que fazemos e por que existimos. Fazer com que o cliente se apaixone pela marca e sua história, porque só assim as pessoas vão poder se conectar”, completa.

Para isso, a Conta Simples está investindo em desenvolver projetos que fomentam o empreendedorismo. Um deles é o Startups Fever, evento realizado em parceria com o Startups e o StartSe, em junho. O encontro reunirá líderes da Movile, Docket, SumUp, Softbank, Revelo, Nuvemshop, Vittude, Merama, iFood, entre outros. “Também vamos nos aproximar cada vez mais de empresas fundadas por mulheres e de projetos sociais, como startups focadas em sustentabilidade, desenvolvimento das periferias e apoio à comunidade LGBTQIA+”, afirma o diretor.

A fintech deve aumentar os investimentos em brand awareness e marketing de conteúdo educacional e institucional para consolidar a marca no Brasil. Guto cita e-books, plataformas próprias de cursos e novos eventos como algumas opções. “A ideia é que as pessoas vejam o que a gente faz na prática. Como auxiliamos empreendedores e startups a economizar tempo com a gestão financeira”, explica.

“Quando falo em comunidade, é desenvolver e fomentar as relações. Muitas startups no Brasil têm dificuldade com administração financeira. A Conta Simples simples pode ser a empresa que vai estender a mão e ajudá-los a se desenvolver. Nós os apoiamos, eles conseguem atender seus clientes e fornecedores, e no final do dia cria uma cadeia de ganha-ganha”, completa o executivo.

A chegada de Guto acontece 5 meses depois de a fintech levantar uma série A de R$ 121,4 milhões. A rodada foi liderada pelo fundo JAM, do fundador do Tinder, Justin Mateen, e pela Valor Capital. A startup não fala em números absolutos, mas diz que a meta para 2022 é crescer 250%. Hoje, a companhia tem cerca de 50 mil clientes.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões