fbpx
Compartilhe

Startups ao redor do mundo cortaram mais de 30 mil vagas como efeito da pandemia.

Segundo informações colocadas no Layoffs.fyi, 320 companhias precisaram usar esse recurso ao redor do mundo para cortar custos e continuar funcionando em meio ao caos. Dessas, 13 são brasileiras. O percentual de cortes tem variado bastante, indo de 5% a mais da metade das equipes – com a maioria ficando entre 20% e 30%. A FGV estima que o desemprego no Brasil chegará a 17,8% em 2020, cinco pontos percentuais a mais do que em 2019 como efeito das medidas de isolamento social para conter o avanço da doença.

Assim como no número de contaminados, há uma subnotificação nas demissões nas startups. Os cortes certamente são mais profundos e atingem mais companhias. A israelense Engie, que tinha como investido o cofundador do Waze, Uri Levine, por exemplo, não esta na lista. Há duas semanas, o fundador da empresa, Alon Hendelman mandou um e-mail aos usuários falando do fim das operações da companhia fundada em 2014.

“A Engie ajudou condutores e provedores de serviços a se aproximarem e se comunicarem melhor, com base na tecnologia de carros conectados, a qual oferecia informações sobre o estado e a manutenção do veículo. Infelizmente, recentemente, a empresa enfrentou dificuldades em razão da Pandemia do novo COVID19, o que nos forçou a interromper os serviços para nossos queridos clientes. (O dispositivo da Engie pode ser utilizado com outros aplicativos.)”, escreveu ele.

Em geral, os cortes nas companhias têm se concentrado nas áreas de vendas e marketing. Muito do que as startups investem é para criar as bases para sustentar um crescimento previsto para o futuro. Como conseguir novos clientes agora está praticamente fora de questão para a maioria das companhias e há muita incerteza sobre como serão os próximos 24 meses, o foco passou a ser ficar vivo. Assim enxugar tem sido uma das saídas.

O senso comum diz que empresas menores têm melhor desempenho e podem dar melhor retorno aos acionistas. Mas na prática, o que se vê é que empresas menores são apenas menores mesmo. O atual ciclo de enxugamento pode criar mais disciplina na forma como startups e fundos investem. Mas também pode colocar em risco o futuro de muitas delas. É esperar para ver qual será o resultado dessa equação.

ANÁLISES

Veja todas as análises