fbpx
Compartilhe

Salários, imóveis, carros e….seguros. Essa é a nova vertical de negócios da Creditas resultante da compra da insurtech Minuto Seguros. A transação, que não teve o valor divulgado, vem 2 meses após a startup colocar no ar sua operação própria de compra e venda de carros, a Creditas Auto, e lançar o financiamento de motocicletas elétricas ao investir R$ 95 milhões na montadora pernambucana Voltz.

Pelos trâmites do negócio, o fundador da Minuto Seguros, Marcelo Blay, continua como presidente da insurtech e passa a ser sócio da Creditas, além de vice-presidente da nova unidade de seguros. A Redpoint eVentures, atual acionista tanto da Creditas quanto da Minuto, se mantém como sócia da fintech.

A nova vertical de seguros será integrada aos três ecossistemas já oferecidos pela empresa. Assim, os clientes poderão gerenciar seus ativos em uma única plataforma. A integração fortalece, principalmente, a vertical de carros e vai permitir a contratação, dentro de um mesmo aplicativo, de um pacote de serviços: crédito com garantia do veículo, financiamento, compra, venda e troca e agora, o seguro.

Da mesma forma, os atuais clientes da Minuto Seguros passam a ter acesso a um pacote completo de produtos e serviços, possibilitando a redução do custo de crédito e facilitando a troca de veículo de forma digital e integrada.

“Agora, no ecossistema da Creditas, a Minuto vai acelerar seu crescimento e mudar a vida de muitos brasileiros. E assim, realizamos nosso sonho de oferecer uma plataforma digital em que os clientes possam fazer tudo o que necessitam para o seu carro: comprar, vender, trocar, financiar, tomar crédito e fazer um seguro. Tudo em um só lugar”, comenta Sergio Furio, fundador e presidente da Creditas.

Com mais de R$250 milhões em prêmios anuais e 160 mil clientes, a Minuto oferece serviços de cotação em tempo real com mais de 15 seguradoras parceiras, contratação digital, gestão pós-venda, renovação digital e gestão de sinistros. Ao agregar os 350 colaboradores da insurtech à sua operação, a Creditas passa a ter um time de 2.500 profissionais.

 

OPINIÃO

Veja todas as opiniões