fbpx
Compartilhe

O Cubo Itaú, hub de inovação e empreendedorismo idealizado pelo Itaú e pelo fundo Redpoint eventures, lançou um hub para fomentar as mobtechs, como são chamadas as startups que desenvolvem soluções para a mobilidade urbana. Batizado de Cubo Smart Mobility, o objetivo é estimular o desenvolvimento de soluções tecnológicas que possam ser incorporadas às cidades do Brasil e da América Latina, beneficiando a população, melhorando o transporte e o trânsito em geral.

A iniciativa é feita em parceria com a Bike Itaú, que compartilha bicicletas públicas pelas cidades, e a ConectCar, empresa de soluções de pagamentos eletrônicos em pedágios e estacionamentos. O iCarros, marketplace do Itaú que oferece soluções para a compra e venda de veículos e o serviço de compartilhamento de veículos elétricos vec Itaú também participam do projeto.

De acordo com o Startup Scanner Mobilidade, levantamento realizado pela Liga Ventures, em parceria com a PWC, há mais de 140 startups de mobilidade no Brasil distribuídas em 38 cidades e 10 categorias de atuação. Mais de 50% delas estão no estado de São Paulo. Em relação a área em que atuam, 26% estão relacionadas à mobilidade elétrica, 10% e-sharing, 10% inteligência de dados, 10% e-hailing, entre outras.

“Acreditamos que mobilidade e tecnologia precisam andar lado a lado. O hub propiciará o desenvolvimento de novos serviços e programas que nos ajudem a atingir nosso propósito de viabilizar o acesso das pessoas a soluções de mobilidade”, afirma Rodnei Bernardino de Souza, diretor do Itaú Unibanco, em comunicado. Segundo o executivo, o hub vai incentivar o conceito de intermodalidade, assim como o modo de viver nas cidades inteligentes nas próximas décadas. 

A expectativa é que, a partir do hub, surjam novas startups focadas em mobilidade e cidades inteligentes, e que haja um aumento no número de fornecedores e parceiros para o setor. Isso porque, para o Cubo Itaú, as ações B2B e B2C permitirão dar mais visibilidade ao setor, fazendo com que a adesão de inovação no sistema ocorra de forma mais rápida, conectada e integrada. Espera-se que com um ecossistema mais unificado seja possível oferecer mais soluções alinhadas ao MaaS (Mobility as a Service).

O projeto também conta com o apoio do grupo automotivo Stellantis e da operadora TIM, que já são parceiras do Cubo Itaú desde 2018 e 2019, respectivamente. “Ter a parceria dessas empresas em um hub que vai impactar o mercado e a qualidade de vida da sociedade é um importante indicador de amadurecimento para nós”, observa Pedro Prates, co-chefe do Cubo Itaú.

Lançado em 2015, o hub fomenta e conecta empresas de base tecnológica a grandes corporações. Sua rede compreende mais de 500 empresas de diversos segmentos e alto potencial de escala. Entre elas, a healthtech Vittude, a fintech ContaAzul e a Take Blip, de atendimento ao cliente. Juntas, as startups da rede receberam mais de R$ 1 bilhão de investimentos em 2020 (em aportes e aquisições) e geraram mais de 3,2 mil empregos. Grandes empresas que compram o serviço dessas startups atuam como mantenedoras. A lista inclui Amazon Web Services, Schneider Electric e L’Oreal.

Espaço para inovar

As outras marcas do Itaú que apoiam a iniciativa vão aproveitar o novo hub de mobilidade para acelerar as novidades planejadas para o futuro próximo. A Bike Itaú, por exemplo, prevê criar projetos de integração intermodal em parceria com a Tembici, e o vec Itaú quer inaugurar uma estação de compartilhamento de veículos elétricos na cidade de São Paulo até o fim de 2022.

Já o iCarros está desenvolvendo uma inteligência de recomendação de compra ou uso do carro de acordo com a necessidade do cliente. Para a ConectCar, a intenção é promover eventos conjuntos, resultando em negócios voltados à inovação e democratização de serviços que facilitem a mobilidade urbana. 

“Estar presente no Cubo Smart Mobility será uma oportunidade para que as marcas acessem com facilidade o ecossistema de startups qualificadas para ajudar a acelerar a inovação no mercado e em seus próprios negócios. Aém disso, permite firmar parcerias estratégicas com mobtechs e com os demais parceiros do hub, gerando novos negócios que contribuam com todo o setor”, conclui Rodnei.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões