fbpx
Compartilhe

A Ease Labs está pronta para acelerar ainda mais o seu plano de tornar produtos à base de cannabis medicinal mais acessíveis no Brasil. Para isso, ela levantou R$ 12 milhões em uma nova rodada liderada pelo fundo MadFish, criado pelo tenista mineiro Bruno Soares. O aporte, feito com a assessoria da boutique VS1 Capital, contou com a participação de outros investidores mantidos em segredo, que se juntam à gestora Impacto Hub e aos fundos BizHub e ALF, que entraram em captações anteriores.

A rodada acompanha o crescimento expressivo da companhia, que viu seu faturamento aumentar 1.113% em 2020 e 203% em 2021. A projeção é crescer mais de 10 vezes no próximo ano e faturar R$ 240 milhões até 2025 graças a um modelo de produção local e distribuição em escala.

O negócio surgiu em 2018 com o objetivo de “levar qualidade de vida e saúde para todos”. Para garantir a importação e apoio logístico, a Ease Labs tem parcerias com empresas multinacionais fora do país, atuando em mercados da América Latina, América do Norte e Europa.

“Diferente de outras empresas do setor, a Ease Labs é uma indústria completa – fazemos o desenvolvimento, produção e distribuição dos produtos – e temos um conjunto robusto de certificações”, diz o diretor da companhia, Gustavo Palhares, em entrevista ao Startups. As importações são regidas pela Resolução da Diretoria Colegiada (RDC), conjunto de normas regulamentares propostas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

No ano passado, a companhia recebeu a autorização da Anvisa para produzir produtos de cannabis em seu laboratório em Belo Horizonte (MG). “Antes, terceirizávamos a produção fora do país, mas estamos em um momento de virada de chave para focar na produção local dos medicamentos. Isso garante uma distribuição muito mais rápida e com um preço mais acessível para a população”, pontua Gustavo.

Atualmente, a empresa já atua na importação e distribuição dos óleos ELC 1000 Softgel, ELC 1500 CBD, ELC 3000 CBD e ELC 7200 CBD. Os planos da empresa preveem a fabricação nacional de produtos voltados à psiquiatria, neurologia e especialidades de dor crônica.

Com o aporte, a companhia quer escalar as vendas e está trabalhando para aumentar seu portfólio de medicamentos produzidos localmente. O plano é distribuir os produtos em grandes redes de farmácias capilarizadas em todo o país, além da possibilidade de exportação para outros mercados. A Ease Labs estima um potencial de mercado de 59 milhões de pessoas.

Bruno Soares, da MadFish, e Gustavo Palhares, da Ease Labs
Bruno Soares, da MadFish, e Gustavo Palhares, da Ease Labs

Benefícios da cannabis no esporte

A MadFish surgiu para apoiar negócios ligados ao esporte, saúde e educação. Seu portfólio inclui a escola de tênis Fly Sports e a Oakberry, rede de alimentação saudável especializada em açaí bowls.

“Pensando em uma longevidade de saúde, até mesmo para além da vida de atleta, encontrei muitos benefícios na substituição de alguns medicamentos sintéticos por produtos mais naturais, como os que são à base de cannabis sativa”, afirma Bruno Soares, fundador da Madfish, em nota enviada ao Startups.

Ex-número 2 do mundo jogando em duplas, Bruno é adepto aos produtos ricos em CBD há anos, utilizados principalmente no tratamento de inflamações pós-atividade esportiva e recuperação muscular. “A MadFish e a Ease Labs compartilham propósitos semelhantes, como promover a saúde por meio de soluções naturais e gerar impacto positivo para as pessoas. Estou empolgado para contribuir com o maior acesso aos produtos à base de cannabis e levar informação de qualidade sobre os benefícios dessa substância para a sociedade como um todo.”

Hugo Daibert, sócio da Madfish e também tenista profissional, ressalta outros benefícios dos medicamentos à base de cannabis, como a redução da ansiedade e melhora da qualidade do sono. Segundo o executivo, o smart money oferecido pelo fundo se resume em 2 palavras – autoridade e credibilidade. 

“O atleta é muito escutado [pela sociedade] e é um formador de opinião. As pessoas têm muito respeito pelo Bruno, seja no Brasil ou fora dele. Quando se tem um atleta utilizando produtos à base de CBD e vendo os benefícios, fica mais fácil das pessoas entenderem a importância”, diz Hugo, em conversa com o Startups.

A expectativa é que a parceria com a Ease Labs gere resultados semelhantes à Oakberry. “A influência e credibilidade do Bruno ajudou a empresa a acelerar seus processos. Conseguimos levar um produto local para o mundo participando de eventos e outros projetos globais”, explica Hugo. Os esforços fizeram com que a marca de açaís lançasse sua campanha publicitária durante o Super Bowl 2022 para se estabelecer de vez no mercado internacional.

Em termos de expansão, a Ease Labs já tem um portfólio de produtos aprovado no Japão e pretende até o fim do ano iniciar as vendas por lá com um parceiro local. Para 2023, o plano de negócios inclui expansão para pelo menos 4 países.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões