fbpx

Junte-se agora e acesse (antes de todos) as principais notícias de tecnologia e startups. clique aqui

Em pouco mais de cinco anos, 520 fundos investiram em startups brasileiras

Por Gustavo Brigatto, em 20 de agosto de 2020

0Shares

De 2015 até meados de 2020 pelo menos 520 fundos de venture capital investiram dinheiro em startups no Brasil, segundo levantamento feito pelo SlingHub.

Ao todo, foram R$ 26,13 bilhões de recursos aplicados, sendo que 2019 foi o ano de maior movimentação, com R$ 12,03 bilhões. Somando esse número ao desempenho acumulado em 2020, o período de 18 meses concentra 59% de tudo que foi aplicado no país desde 2015. Olhando o começo da série, o volume de recursos aportados aumentou oito vezes.

SlingHub aportes

Na lista feita pelo SlingHub foram incluídos micro VCs, fundo de corporate venture capital e de private equity. Não foram computados investimentos feitos por anjos e grupos de anjos.

Na lista dos fundos mais ativos na liderança de rodadas, o Canary ficou na frente, com a Duxx Investimentos em segundo. Monashees, Kaszek e Redpoint completam a lista.

SlingHub fundo de VC

O segmento de fintechs se manteve como o mais movimentando desde 2015. Já a segunda posição teve mais disputa, com logística, mobilidade e saúde se revezando até 2018, quando saúde se descolou e tomou a colocação para si.

A maior parte dos investimentos no período analisado foi feito por fundos baseados no Brasil, com um total de 293 nomes. Destes, São Paulo é a sede de mais da metade (174). Entre os estrangeiros, a maior parte (70) tem sede nos EUA. Da Europa, vieram recursos de 21 fundos. Em 117 fundos não foi informada sua origem.

A maioria dos fundos que investiu no Brasil entre 2015 e o meio de 2020 nasceu após 2015: 116. Já a rede social favorita dos fundos parece ser o LinkedIn, com 355 perfis por lá. Facebook (115 perfis), Twitter (111) e Instagram (58) seguem.

Jornalista com mais de 10 anos cobrindo tecnologia e inovação no Valor Econômico. Fundador e editor do startups.com.br.