fbpx
Compartilhe

De 2015 até meados de 2020 pelo menos 520 fundos de venture capital investiram dinheiro em startups no Brasil, segundo levantamento feito pelo SlingHub.

Ao todo, foram R$ 26,13 bilhões de recursos aplicados, sendo que 2019 foi o ano de maior movimentação, com R$ 12,03 bilhões. Somando esse número ao desempenho acumulado em 2020, o período de 18 meses concentra 59% de tudo que foi aplicado no país desde 2015. Olhando o começo da série, o volume de recursos aportados aumentou oito vezes.

SlingHub aportes

Na lista feita pelo SlingHub foram incluídos micro VCs, fundo de corporate venture capital e de private equity. Não foram computados investimentos feitos por anjos e grupos de anjos.

Na lista dos fundos mais ativos na liderança de rodadas, o Canary ficou na frente, com a Duxx Investimentos em segundo. Monashees, Kaszek e Redpoint completam a lista.

SlingHub fundo de VC

O segmento de fintechs se manteve como o mais movimentando desde 2015. Já a segunda posição teve mais disputa, com logística, mobilidade e saúde se revezando até 2018, quando saúde se descolou e tomou a colocação para si.

A maior parte dos investimentos no período analisado foi feito por fundos baseados no Brasil, com um total de 293 nomes. Destes, São Paulo é a sede de mais da metade (174). Entre os estrangeiros, a maior parte (70) tem sede nos EUA. Da Europa, vieram recursos de 21 fundos. Em 117 fundos não foi informada sua origem.

A maioria dos fundos que investiu no Brasil entre 2015 e o meio de 2020 nasceu após 2015: 116. Já a rede social favorita dos fundos parece ser o LinkedIn, com 355 perfis por lá. Facebook (115 perfis), Twitter (111) e Instagram (58) seguem.

ANÁLISES

Veja todas as análises