fbpx
Compartilhe

A hrtech espanhola Factorial, que automatiza processos de recursos humanos das empresas, está abrindo uma operação oficial no Brasil. O desembarque no país acontece após uma rodada de série B de US$ 80 milhões liderada pela Tiger Global que a startup recebeu. O aporte chega pouco mais de 1 ano depois da série A que ela recebeu. Em abril do ano passado ela tinha levantado US$ 16 milhões com CRV, Creandum, Point Nine e K Fund. Antes, em 2018, foram 2,8 milhões de euros com Point Nine, K Fund, Itnig e Creandum.

Em junho, a Factorial já tinha aberto um escritório no México, o seu 2º depois da sede em Barcelona. Com a nova rodada, a ideia é ter também uma operação própria nos EUA. Mais de 60 mil empresas de 60 países usam o software de RH da startup. Aqui no Brasil ela já atende companhias como a insurtech Kakau e a agtech Agrotools.

A chegada da Factorial reforça a lista de empresas internacionais que chegaram ao Brasil recentemente. Junto dela estão nomes como Deel, BYJU´S e Gupshup. Apesar dos pesares da economia e da montanha-russa da política, o país continua sendo atraente para novos entrantes. Quem bom.

“Acreditamos que o Brasil vai ser um dos maiores mercados da Factorial. Não apenas porque é um território continental, mas pelos avanços no empreendedorismo no país e aceitação de novas tecnologias. Vemos o país como um berço de inovação e com um grande potencial para crescer”, diz Jordi Romero, presidente e cofundador da Factorial. Nascida em 2016, a hrtech tem hoje 120 funcionários e plano de completar em 2021 o 3º ano em que ela triplica de tamanho. A ideia é repetir o feito também em 2022, com o Brasil tendo papel de destaque nesse desempenho.

O software de gestão de pessoas da Factorial centraliza todos os processos de recursos humanos e departamento pessoal das empresas. Isso inclui recrutamento e seleção, admissão, registro de ponto, férias e ausências, avaliação de desempenho, feedback, variáveis nas folhas de pagamento, entre outros. O valor da assinatura começa em R$ 10 por mês por funcionário no plano anual.

As áreas de RH das empresas se tornaram um filão interessante para as startups devido ao baixo nível de inovação nas ferramentas utilizadas. O movimento que começou na parte de recrutamento e seleção, hoje está bastante movimentado na parte de benefícios, com nomes como Caju e Education Journey se dedicando a criar novos formatos.

ANÁLISES

Veja todas as análises