fbpx
Compartilhe

Startups fundadas por pessoas negras receberam US$ 324 milhões em investimento de risco nos Estados Unidos no segundo trimestre de 2022. De acordo com o Crunchbase, o volume é o mais baixo em quase 2 anos e representa uma queda acentuada em relação aos trimestres anteriores.

O levantamento revela que, embora o financiamento de empresas lideradas por pessoas negras sempre tenha sido baixo, os últimos anos tinham começado a mostrar sinais esperançosos de progresso. O volume dos aportes saltou de US$ 467 milhões para US$ 1,2 bilhão entre o 4º trimestre de 2020 e o 1º trimestre de 2021. No restante do ano passado, os investimentos somaram US$ 866 milhões de julho a setembro e US$ 1,2 bilhão nos últimos 3 meses do ano.

2022 começou estável – sem ganhos nem perdas no total captado pelas companhias. No entanto, os US$ 324 milhões registrados de abril a junho são a menor soma trimestral desde o 3º trimestre de 2020, quando apenas US$ 180 milhões foram injetados nessas startups.

A queda no investimento ocorre em meio a uma retração geral no volume e número de rodadas. “Esse é um sinal preocupante de que, à medida que os investidores de risco se tornam mais cautelosos, empreendedores sub-representados podem estar entre os que sentirão a retração mais agudamente”, escreve a editora Gené Teare em uma publicação do Crunchbase.

Evolução do investimento em startups fundadas por pessoas negras nos EUA ao longo dos anos
Fonte: Crunchbase

O ecossistema nos EUA

Startups com pelo menos um fundador negro participaram de 1,9% dos deals e receberam 1,2% do total de dólares investidos nos EUA até meados de junho, de acordo com o Crunchbase. Historicamente, os cheques flutuaram entre 0,8% e 1,3% por ano desde 2017 e o número de rodadas, entre 1,8% e 2,6%.

2021 foi um ano recorde em termos de dólares investidos nessas empresas, que captaram mais US$ 4,3 bilhões, sendo 44% do total (cerca de US$ 1,9 bilhão) direcionado para o seed ou early-stage. No entanto, o cenário está longe de se repetir em 2022: faltando apenas 6 meses para o fim do ano, as startups de empreendedores negros receberam pouco mais de US$ 1,5 bilhão.

Ainda assim, em 2022 a plataforma de dados já registrou 2 novos unicórnios fundados por pessoas negras. É o caso da startup de cuidados renais Somatus, que levantou uma série E de US$ 325 milhões, e da Esusu Financial, que ajuda locatários a obterem crédito, que captou uma série B de US$ 130 milhões com o SoftBank Vision Fund.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões