fbpx
Compartilhe

O Asaas, fintech que oferece soluções para automatizar processos de gestão financeira de empresas, agora expande sua atuação para o B2C. Como bagagem da aquisição da Code Money feita em agosto, a startup integrou ao seu portfólio o Asaas Money, carteira digital voltada aos pagadores dos seus clientes, os consumidores finais.

A solução permite aos usuários fazer transações em lojas físicas e virtuais usando apenas o smartphone. Também é possível colocar crédito no celular, realizar transferências a outros usuários e efetuar parcelamentos direto pela plataforma. O app, disponível para iOS e Android, funciona a partir do armazenamento de dados de cartões ou na modalidade pré-paga, com a inserção de valores via boleto bancário e PIX. Resumindo, uma carteira digital aos pagadores e uma frente de caixa digital aos vendedores.

“Identificamos que muitas vezes nosso cliente não quer dar opções de parcelamento aos seus pagadores por não ter esse fôlego e, como resultado, muitas vezes não recebia o pagamento”, afirma Piero Contezini, presidente do Asaas. Segundo ele, a estratégia é fornecer mais crédito aos pagadores dos clientes da fintech, além de aprimorar a experiência na compra e venda de produtos e serviços intermediadas pela plataforma.

Os irmãos Piero Contezini e Diego Contezini, fundadores do Asaas

Super app do empreendedor 

Neste ano, além da Code Money, o Asaas também comprou a Base, startup de ERP SaaS, adicionando funcionalidades de gestão financeira ao seu portfólio. A estratégia de aquisições faz parte do plano de se tornar um super app do empreendedor, integrando as soluções de gestão financeira, ERP, e agora a wallet, em um ecossistema que gere benefícios a todos os participantes dessa rede.

Há 7 anos no mercado, a fintech já recebeu quase R$ 50 milhões em aportes, sendo o mais recente liderado pelo Inovabra Ventures, do Bradesco. Em conversas com novos interessados em seu negócio, a startup deve fazer uma nova captação em breve.

Com 96 mil clientes em todo o país, o Asaas espera aumentar este número para mais de 100 mil até o fim do ano e alcançar R$ 6 bilhões em volume total transacionado em sua plataforma. “Nossa missão é permitir que o brasileiro se torne adimplente com todos seus compromissos financeiros de forma mais fácil, ajudando o dinheiro fluir”, completa Piero.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões