fbpx
Compartilhe

A Nestlé pode em breve entrar para a lista de grandes empresas que investem em startups por meio de um fundo próprio. A companhia centenária, que há 4 anos se dedica fortemente à inovação, estuda a possibilidade de lançar até o fim do ano um fundo CVC (corporate venture capital) para ampliar ainda mais sua atuação no ecossistema.

É o que revelou com exclusividade ao Startups a head de inovação e novos negócios da Nestlé, Renate Giometti, durante a inauguração oficial do Panela House, novo espaço de inovação aberta da companhia em sua sede em São Paulo, nesta terça (2).

“Termos um fundo de investimentos próprio faz total sentido com o nosso foco com a agenda ESG e com a visão de cocriar o ecossistema alimentar regenerativo do futuro”, afirmou Renate. Detalhes como o valor que a empresa pretende desembolsar ou quantas startups devem ser investidas, no entanto, não foram antecipados.

Na busca por acelerar o ritmo de inovação, diversas empresas têm lançado seus fundos de CVC nos últimos meses. Totvs, Locaweb, Ânima, CVC e Renner são alguns exemplos. O momento também é propício para empresas que têm caixa disponível para investir, uma vez que os fundo de venture capital estão com as torneiras mais fechadas por conta das incertezas econômicas globais.

Nestlé + as startups

O trabalho da Nestlé com startups que começou em 2018 trouxe uma nova mentalidade à gigante de alimentos. “Nosso primeiro desafio quando decidimos investir em inovação foi falar de inovação para além do produto. Foi preciso criar uma visão mais abrangente, que envolvesse toda a cadeia de alimentos. Tudo parte do consumidor, que está preocupado em ter os seus problemas solucionados, e é para isso que a nossa plataforma trabalha”, acrescentou Carolina Falcoski, gerente de inovação aberta na Nestlé.

O Panela House conta com diversos ambientes para que as mais de 70 startups cadastradas possam usufruir diariamente. São salas de coworking, uma cozinha experimental, espaço para hackatons e meetups, além de um pocket studio para gravação de lives e vídeos — a ser inaugurado em setembro. 

Um dos ambientes do Panela House na sede da Nestlé em São Paulo (Foto: Fabiana Rolfini)

O novo espaço físico da plataforma de inovação da Nestlé é inaugurado exatamente 1 ano após a sua criação. Nesse período, a companhia já se conectou com mais de 1,8 mil empresas e desenvolveu 150 pilotos, dos quais 50 foram escalados. A iniciativa conta com o apoio de parceiros como Distrito, Endeavor, e a consultoria de inovação corporativa Innoscience, além do centro de inovação da empresa, em São José dos Campos (SP).

No evento de inauguração do Panela House, algumas startups como a gaúcha Luming, de inteligência energética, e a Agrosmart, estiveram presentes para apresentar seus projetos criados em conjunto com a Nestlé. Saúde, agronegócio e foodservice são alguns dos segmentos das startups apoiadas hoje pela empresa.

O compromisso, ainda de acordo com a empresa, é com a inovação sistêmica, ou seja, com a produção sustentável que permeia o dia a dia da companhia desde o campo até o desenvolvimento de produtos que levem nutrição e bem-estar, além do cuidado com a natureza.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões