fbpx

Junte-se agora e acesse (antes de todos) as principais notícias de tecnologia e startups. clique aqui

Felipe Matos será o novo presidente da Abstartups

Por Gustavo Brigatto, em 5 de novembro de 2020

0Shares

Em eleição com chapa única realizada no fim da semana passada, a Abstartups elegeu a nova diretoria para o biênio de 2021 e 2022.

Felipe Matos, que já atuou no programa Start-UP Brasil, do MCTI, e até mais recentemente estava na InLoco, será o novo presidente da associação. Ele já era membro do conselho desde 2014. Ingrid Barth, fundadora da Linker será a vice-presidente. Cristiano Fernandes de Freitas, sócio da Syhus Contabilidade, será o diretor financeiro.

José Muritiba, que assumiu o cargo de diretor executivo em fevereiro com a saída de Rafael Ribeiro, segue no posto.

A posse da nova diretoria acontecerá em 1º de janeiro. Até lá, a atuação gestão, que tem presidente Amure Pinho, segue à frente da operação. Pinho foi eleito presidente pela primeira vez no fim de 2016 e reeleito em 2018.

Fundada em 2011, a Abstartups é uma entidade sem fins lucrativos que tem como mantenedores empresas como Ambev, Dell, Intel e Sympla. Na lista de associados são 5,8 mil empresas, com 35 mil fundadores de todos os estado do país. Uma das metas da associação é fazer as startups representarem 5% do PIB brasileiro até 2035.

Ao Startups, Matos apresentou algumas linhas em que pretende atuar durante sua gestão. Na lista estão a produção de dados e conhecimento sobre o setor, formação de talentos e a promoção da diversidade – aí incluindo as questões de gênero, raça e também de promoção de companhias de fora de eixos mais tradicionais, como São Paulo e Rio. “A diversidade gera mais inovação porque você tem diferentes pontos de vista. Gera um ecossistema mais saudável”, disse.

Um dos principais eixos será a interlocução com o setor público e a discussão de pautas que impactem o setor, como o marco legal das startups. Segundo ele, o texto é um avanço, mas deixa a desejar no aspecto do enquadramento tributário dos investimentos feitos em startups e a não previsão de uma estrutura de “SA simplificada”, que poderia reduzir custos e inseguranças jurídicas. Também faltou o reconhecimento dos planos de stock options e de vesting de ações.  Matos foi diretor-executivo e ainda integra o conselho do Dínamo, grupo que foi um dos promotores da criação de conjunto de regras para melhorar o ambiente competitivo para startups no Brasil.

Jornalista com mais de 10 anos cobrindo tecnologia e inovação no Valor Econômico. Fundador e editor do startups.com.br.