fbpx
Compartilhe

Depois de receber US$ 425 milhões em abril do ano passado, a Brex, que começou com um cartão de crédito e está se tornando um banco para pequenas empresas nos EUA, decidiu adicionar um pouco mais de gasolina no tanque. A fintech levantou mais US$ 300 milhões em uma extensão da série D, coliderada por Greenoaks Capital e TCV. O aporte elevou o valuation para US$ 12.3 bilhões – um decacórnio!

A rodada aconteceu em outubro, mas só foi confirmada pela Brex agora. Criada em 2017 no Vale do Silício pelos brasileiros Pedro Franceschi e Henrique Dubugras, a companhia ganhou o status de unicórnio em menos de 2 anos de operação e, só no primeiro trimestre de 2021, viu sua  base total de clientes crescer 80%, segundo dados divulgados pela própria startup.

A “segunda parte” da série D fecha um ano em que a receita da fintech mais que dobrou, de acordo com Henrique. Ele afirma que os investidores existentes  da Brex representam cerca de 95% dos participantes da extensão. “Não abrimos para outros, porque já tínhamos muitos investidores novos com bolsos cheios de dinheiro. Prometemos alocar esses recursos ao longo dos anos”, disse o fundador, para o TechCrunch.

Mas as novidades da Brex não param por aí. Junto com o aporte, a fintech anunciou a contratação de Karandeep Anand, ex-vice-presidente de produtos de negócios da Meta (antigo Facebook). O executivo também tem passagens pela Microsoft, onde ajudou a desenvolver o serviço de nuvem da empresa, o Azure. Na Brex, Karandeep assume o cargo de diretor de produtos, liderando os esforços para a expansão do portfólio da empresa, para onde será direcionada boa parte do novo capital.

A fintech, com sede em São Francisco, já trabalha para expandir as ofertas de produtos há alguns anos. Além dos cartões de crédito corporativos, ela oferece também contas empresariais e uma plataforma de gerenciamento de gastos e pagamento de contas. Agora, a Brex quer criar soluções para atender médias e grandes empresas, já que alguns de seus clientes anteriores – startups e pequenos negócios – estão crescendo e se consolidando no mercado.

“A oportunidade de criar oportunidades econômicas para milhões de pessoas e empresas em todo o mundo por meio da inovação em produtos financeiros é empolgante”, disse Karandeep, em comunicado. “Sou grato pela possibilidade de criar produtos que ajudarão nossos clientes a expandir seus negócios”, completa.

Com a nova vertical de serviços, a Brex aperta a competição com a Ramp, outra  fintech que oferece cartões corporativos e softwares para administrar as despesas dos funcionários. A Ramp levantou US$ 300 milhões em agosto do ano passado, liderados pelo Founders Fund, de Peter Thiel, cofundador do PayPal. Depois do aporte, a companhia foi avaliada em US$ 3,9 bilhões – mais do que o dobro do valuation de 2 anos, de US$ 1,6 bilhão.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões