fbpx
Compartilhe

A Get Commerce, plataforma para lojistas criarem e-commerces e lojas virtuais, levantou R$ 1,2 milhão em sua 1ª rodada de investimento, conduzida pela associação de investidores-anjo BR Angels para se consolidar como uma das principais soluções corporativas de e-commerce na região. A notícia foi adiantada com exclusividade ao Startups.

Criada em 2018, a ferramenta segue um modelo de loja pronta, com tudo o que é preciso para realizar vendas online, desde a configuração das formas de pagamento e envio, à incorporação com o Facebook e configuração do Google Analytics, a ferramenta de marketing digital do Google.  Desde sua fundação, a startup atingiu mais de 650 mil pedidos, 27 milhões de pageviews mensais e R$ 160 milhões transacionados diretamente na plataforma.

Em 2022, a expectativa é crescer 3 vezes o tamanho atual, e o dinheiro captado será essencial para escalar a operação. Com atuação principalmente no Rio Grande do Sul, onde nasceu, a empresa vai investir em branding e turbinar a parte comercial, a fim de aumentar sua presença em outras regiões do país.

“A parceria com a BR Angels é muito importante em termos de smart money”, diz Daniel João, cofundador e diretor de operações da Get Commerce. A rede determina que todos os associados dediquem pelo menos 4 horas por mês às investidas do portfólio, totalizando mais de 100 horas de mentorias mensais em áreas de conhecimento variadas.

“Assim, temos a oportunidade de conversar com pessoas do mercado que já enfrentaram algumas das nossas dores – o que encurta o caminho [de desenvolvimento] e vai nos permitir crescer 10 anos em 2”, afirma Daniel. A BR Angels é composta por mais de 200 C-Levels de grandes empresas, incluindo Rede D’Or, Pátria Investimentos, Movile e AWS (Amazon Web Services), e já investiu em startups como AutoForce, Cignifi e Nvoip.

Os cofundadores da Get Commerce: José Augusto Arnuti Aita (diretor-executivo), Daniel João (diretor de operações) e Nathan Leidemer (diretor de tecnologia) - Startups
Os cofundadores da Get Commerce: José Augusto Arnuti Aita (diretor-executivo), Daniel João (direotr de operações) e Nathan Leidemer (diretor de tecnologia)

No meio dos gigantes

A Get Commerce disputa um mercado acirrado com grandes startups latino-americanas. O setor já tem a VTEX, unicórnio brasileiro focado em SaaS para empresas e varejistas criarem seus e-commerces, que foi avaliada em US$ 1,7 bilhão em setembro de 2020 e fez sua estreia em Wall Street em 2021 com um IPO na bolsa de valores de Nova York, levantando US$ 361 milhões.

Outra concorrente de peso é a plataforma argetina para criação de lojas virtuais Nuvemshop. A companhia recebeu uma série E de US$ 500 milhões liderada pelos fundos norte-americanos Insight Partners e Tiger Global Management, chegando a uma avaliação de mercado de US$ 3,1 bilhões. O negócio movimentou R$ 5.8 bilhões de vendas em toda a América Latina, distribuídas entre os mais de 90 mil lojistas que utilizam sua plataforma.

Quem fecha essa tríade é a Locaweb, plataforma de hospedagem de sites, serviços de internet e computação em nuvem. Nos últimos 2 anos, a startup vem avançando fortemente em sua estratégia de fusão e aquisição de empresas – a Squid, Octadesk, Bagy, Credisfera, Dooca Commerce são apenas algumas da lista.

Apesar do tamanho e autoridade dessas empresas, a escolhida como melhor plataforma de e-commerce do país em 2021 no Prêmio ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) foi a Get Commerce. Para Daniel João executivo, o diferencial da startup está na qualidade e no dinamismo das soluções oferecidas.

A plataforma é desenvolvida com inteligência artificial conectada, capaz de criar relatórios e insights sobre o desenvolvimento, lançar updates constantes, montar uma vitrine inteligente com os produtos ideais para cada usuário e gerar sugestões automáticas para os visitantes do site. Outro elemento é o “ultra check-out”, no qual o consumidor não precisa de login e senha e não passa por intermediários para fazer a compra, o que, segundo Daniel, aumenta as vendas online em até 30%.

“A gente quer ser a RD Station das lojas virtuais”, diz o cofundador, em referência ao software de automação de marketing que oferece relatórios precisos e inteligentes para turbinar as oportunidades e vendas das empresas. “Você adota a ferramenta, conecta suas informações e tudo roda sem dificuldades”, completa o empreendedor.

O objetivo é criar uma operação única e integrada, com ferramentas que automatizam ações para o lojista e geram uma experiência positiva para cada visitante do e-commerce. A startup cuida de todas as etapas de personalização da loja virtual dos clientes, a começar pelo registro e a configuração para domínio próprio, ativação de e-mails específicos para cada empresa e elaboração do layout do site.

Segundo Orlando Cintra, fundador e diretor-executivo do BR Angels, e Gustavo Laranja, associado da associação e responsável pelo acompanhamento da Get Commerce, outros fatores que atraíram a associação a fazer o investimento foi a qualidade e sintonia do time e o momento aquecido do e-commerce no mercado nacional.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões