fbpx
Compartilhe

A Grow, dona da Yellow e da Grin, marcou para o dia 29 de julho a assembleia de credores para apresentação de seu plano de recuperação judicial (RJ).

A data é, coincidentemente (ou não), a mesma em que o processo de recuperação completa 1 ano de seu início. Caso não haja quórum, a 2ª chamada será realizada no dia 5 de agosto, daí podendo ser instalada a assembleia com qualquer número de participantes.

Em documento enviado aos credores ao qual o Startups teve acesso, a companhia coloca como uma opção para pagamento de dívidas trabalhistas, patinetes. Pois é. Os aparelhos – usados e sabe-se lá em qual estado de conservação estão, mas que não deve ser muito bom já que a empresa não opera há mais de um ano – estão sendo avaliados em R$ 1,8 mil cada.

Os aparelhos estão sendo oferecidos como parte do pagamento para quem aceitar um abatimento de 50% da dívida dentre as 4 opções de pagamento que a companhia oferece a seus diferentes tipos de credores. O limite para quem aceitar os patinetes como pagamento é de 2 mil unidades, ou um valor correspondente a R$ 3,6 milhões.

Para efeito de comparação, um patinete elétrico novo, da Xiaomi, custa por volta de R$ 3 mil comprado pela internet.

A recuperação judicial

No processo de RJ apresentado em julho, e que foi aceito pela Justiça em setembro, a Grow disse acumular uma dívida de R$ 38 milhões.

A Yellow é citada como sendo a empresa mais endividada, apesar de boa parte dos débitos ser de responsabilidade da Grin, que contratava seus serviços. Na lista de credores, a fabricante de bicicletas Caloi, com a qual a Yellow tinha contrato de fornecimento, aparece como a maior, com R$ 15 milhões a receber. As dívidas trabalhistas das duas empresas somam quase R$ 10 milhões.

Documentos obtidos pelo Startups indicam que Yellow e Grow somaram prejuízo de R$ 350 milhões em 2019.

Opções de pagamento para os credores

Veja abaixo as 4 opções de pagamento oferecidas pela companhia a seus credores:

  • créditos de até R$ 2,6 mil serão pagos de forma integral em até 6 meses corrigidos pelo INPC a partir da homologação da recuperação judicial;
  • para os credores trabalhistas, uma opção é receber o pagamento com 50% de desconto e até 12 após a homologação da RJ, com valores também corrigidos pelo INPC. O saldo com desconto poderá ser pago com, integral ou parcialmente, com patinetes, avaliados em R$ 1,8 mil cada, em um prazo de 90 dias a partir da escolha da opção de pagamento. O limite será de 2 mil patinetes, ou seja, cerca de R$ 3,6 milhões. Caso ainda haja valores remanescentes, eles serão pagos em até 12 meses da homologação do plano da RJ, com correção pelo IPCA. A outra opção, sem desconto e corrigida pelo INPC, prevê o pagamento em 3 parcelas anuais iguais em 3 anos seguidos;
  • credores quirografários terão pagamento com desconto de 50% em 5 parcelas anuais, iguais e sucessivas, após carência de 24 meses;
  • já as microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP), terão pagamento sem desconto, corrigido pelo INPC, em até 18 meses.

“Se, durante o cumprimento do PRJ, o Grupo Grow apresentar valores excedentes em seu caixa operacional, poderá, a seu exclusivo critério, ofertar tal excesso para antecipar pagamentos mediante leilão reverso, por meio do qual será pago o credor que ofertar o maior desconto de seu crédito. As condições do leilão reverso serão descritas com maior detalhe no Plano a ser apresentado”, informou a companhia.

ANÁLISES

Veja todas as análises