fbpx
Compartilhe

A Gympass deu uma nova cartada para impulsionar a sua plataforma de saúde mental, o Wellz. A startup unicórnio no segmento de bem-estar anunciou a compra da Vitalk, healthtech paulista que desenvolveu uma plataforma de prevenção e treinamento para clientes corporativos.

Embora os valores da operação não tenham sido divulgados, basicamente estamos falando de um acqui-hire: a aquisição prevê a absorção da Vitalk pela operação da Gympass, que com isso projeta o crescimento rápido da marca Wellz, incluindo serviços como sessões de terapia individual e em grupo, conteúdo on-demand e monitoramento clínico.

“Com a Vitalk, trazemos uma experiência que antes não tínhamos, que é a combinação de inteligência artificial com uma jornada humana através de chatbots e conhecimento digital, complementando nossa forte base profissional”, diz João Barbosa, co-fundador do Gympass, em comunicado.

Crescimento consistente

Fundada pelo americano Michael Kapps em 2019, a Vitalk fechou 2021 com bons números no Brasil, passando das 220 mil vidas atendidas. Com clientes como Vale, Johnson & Johnson e Grupo GSK, a startup atua próxima aos RHs das empresas no acompanhamento e promoção da saúde mental dos colaboradores.

Isso é realizado através de monitoramento de índices de burnout, estresse e ansiedade, capacitação de lideranças, rodas de conversa com psicólogas e fornecimento de materiais de conscientização para colaboradores.

A empresa não abre seus números de receita, apenas divulgando um crescimento médio de 30% mês a mês em seu faturamento e a marca de 250 mil downloads de seu app.

Para completar, em novembro do ano passado ela recebeu um aporte de R$ 24 milhões em uma rodada série A liderada pela Vox Capital. O aporte foi acompanhado pelos fundos Goodwater Capital, Valor Capital, o family office da família Moll (Rede D’Or) e a Greenrock.

Um detalhe interessante: esta é a primeira M&A dentro do portfólio da Valor Capital Group, um movimento que vem ao encontro de uma tendência listada recentemente pelo Startups para o ano de 2022: a consolidação de investimentos dentro das gestoras. No fim do ano passado, a Alice incorporou a Cuidas. As duas empresas tinham como investidor em comum a Kaszek.

Gympass em expansão

A compra da Vitalk reforça a posição da Gympass em ser uma plataforma completa de soluções de bem-estar para funcionários, indo bem além de sua ideia inicial de ser um serviço de passes para academias – e possivelmente expandir o Wellz para novos mercados, já que ele está disponível somente no Brasil por enquanto.

“Michael (Kapps) e seu time estão trazendo uma solução digital de nível mundial, com profunda expertise clínica e experiência de produto. Estamos empolgados com as sinergias e valor que eles (da Vitalk) podem contribuir conosco”, destaca Rogério Hirose, Head de Novos Negócios da Gympass.

A compra não é a primeira movimentação da marca na área de saúde mental. Em 2020 a empresa firmou uma parceria com a norte-americana Calm, integrando o app de meditação criado pela healthtech de São Francisco ao seu leque de ofertas. O movimento para a saude mental foi uma resposta da Gympass às mudanças de comportamento trazidas com as medidas de isolamento para combater a pandemia.

Além disso, a empresa se capitalizou recentemente. Em junho do ano passado, ela recebeu US$ 220 milhões em uma rodada série E com SoftBank, General Atlantic, Moore Strategic Ventures, Kaszek Ventures e Valor Capital Group. Em nota à imprensa na época, a empresa destacou que os recursos seriam investidos no “crescimento de sua presença nos EUA, melhorar a experiência do produto e continuar a expandir em categorias como fitness digital, saúde mental e nutrição”.

Com o aporte, a empresa praticamente dobrou sua avaliação no mercado para US$ 2,2 bilhões, reforçando sua posição como um dos unicórnios brasileiros.

Fundada no Brasil, mas desde 2017 com sua sede em Nova York, a Gympass tem operações no Brasil, México, Chile, Argentina, EUA, Alemanha, Espanha, Itália, Irlanda e Reino Unido. A empresa conta com clientes graúdos como Santander, Unilever, Accenture e McDonalds.

Um caminho a ser percorrido

Em entrevista recente ao Startups, a Gympass já tinha adiantado seus planos de reforçar seus serviços focados em saúde mental. A empresa inclusive comentou que estava prestes a lançar um produto de terapia online, que vinha sendo testado desde o ano passado. Na ocasião, não foi revelado se era a solução da Vitalk.

De qualquer forma, as políticas de saúde mental nas startups e empresas em geral ainda tem um longo caminho a percorrer, ainda mais depois da pandemia. Segundo uma pesquisa sobre saúde mental no trabalho da HRtech Think Work conduzida entre janeiro e fevereiro deste ano com 223 profissionais, 66% disseram se sentir mais cansados em comparação a antes da pandemia. Além disso, 65% estão mais ansiosos, 61% estão mais estressados e 61% tiveram uma percepção de envelhecimento acelerado nos últimos dois anos.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões