fbpx
Compartilhe

A insurtech Justos aos poucos desenrola seu plano de expansão. Menos de 1 anos depois de receber um aporte de US$ 35,8 milhões, a seguradora está aumentando seu alcance para o interior de São Paulo e chegando a uma segunda capital: Curitiba.

Com uma oferta que analisa os padrões de condução e premia os bons motoristas com melhores tarifas, a empresa quer impulsionar sua adesão no mercado com a entrada nestes novos mercados. Apesar de não abrir dados sobre metas com o movimento, a empresa respondeu ao Startups que cresceu 300% do primeiro para o segundo trimestre de 2022, e espera aumentar este ritmo.

“A ideia é seguir a todo vapor com esse crescimento para todo o estado do Paraná e na sequência irmos para o Sul e Sudeste do país”, afirmou o cofundador e CEO da Justos, Dhaval Chadha.

A escolha pelo Paraná se justifica nos números. Segundo dados da (Superintendência de Seguros Privados) Susep, em 2021 o mercado de seguro auto no estado cresceu 10,13% , enquanto que o de seguros no geral aumentou 19,2%. “Em nossas análises de mercado identificamos Curitiba como um mercado bem aderente ao nosso modelo de negócio, região ideal para o próximo passo da nossa expansão geográfica”, destacou Dhaval.

Fundadores da Justos: Dhaval Chadha (à esq.), Jorge Soto Moreno e Antonio Molins/Foto: Divulgação

Contudo, segundo apurou o Startups, outros fatores entram em questão para esta decisão. O sandbox regulatório da Susep, que permite a operação de startups disruptivas em modelo experimental em ambientes controlados, inclui o interior de São Paulo e a capital paranaense, que assinou o seu sandbox municipal no início de 2022.

Próximos passos

A Justos despertou desde cedo o interesse de investidores. Em 2020, a companhia recebeu R$ 15 milhões da Kaszek para tirar sua ideia do papel, e em outubro do ano passado recebeu US$ 35,8 milhões (algo em torno de R$ 200 milhões na época), numa rodada liderada pela Ribbit e ainda contou com a chegada da SoftBank e da GGV. Também participaram investidores da rodada anterior como Kaszek, BigBets, David Vélez (Nubank) e Carlos Garcia Otatti (Kavak).

Segundo Dhaval, com o mais recente aporte, a insurtech está confortável para tocar seus planos de expansão de forma gradual, sem se preocupar com a situação atual do mercado e dos avisos sobre uma possível seca de investimentos. “Estamos bastante confortáveis financeiramente, graças à rodada que tivemos no ano passado”, pontua.

Em entrevista ao Startups na época da segunda rodada, o CEO afirmou que seguro de automóvel foi a 1ª categoria de produto lançada pela Justos, mas não deve ser a única. Segundo Dhaval, a ideia é ter opções nas áreas residencial e de vida. Mas a entrada em novos segmentos será feita “no momento correto”.

Por ser um modelo diferenciado de seguradora, a Justos opera dentro do Sandbox da Susep. A empresa recebeu a liberação da entidade no final do ano passado, sendo escolhida junto com outras 21 startups.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões