fbpx
Compartilhe

Ser a empresa mais rica do mundo significa ter o dinheiro para atacar o mercado que quiser. Depois de já ensaiar alguns passos no segmento de saúde com a compra da drogaria online PillPack em 2018, a Amazon acabou de fazer sua maior jogada neste setor: comprou a rede de serviços de saúde One Medical por US$ 3,49 bilhões, em um all-cash deal, ou seja, à vista.

Com a compra, a Amazon agora controla a operadora de saúde básica, que conta com cerca de 182 clínicas nos Estados Unidos. Funcionando de forma semelhante às clínicas populares que temos por aqui, a One Medical cobra uma mensalidade de seus clientes, que têm acesso a médicos e outros serviços via atendimento digital. Em 2020, quando a operadora se tornou pública, ela chegou a ser chamada de “Netflix do atendimento médico básico”. No acordo com a Amazon, as ações da One Medical foram compradas a US$ 18 cada.

Segundo reportou a Bloomberg, a aquisição é um passo ambicioso para a empresa de Jeff Bezos, e o senior VP à frente da estratégia de saúde da Amazon, Neil Lindsay, confirmou isso: “Acreditamos que o setor de saúde está no topo da lista de experiência que precisam de reinvenção”, afirmou o executivo.

Vale citar um detalhe: segundo especialistas de mercado, o segmento de saúde básica é um dos menos lucrativos do mercado norte-americanos, o que vem há tempos atraindo investimentos de players como grandes redes de drogarias como CVC e Walgreens, assim como planos de saúde interessados em estender suas redes de clínicas próprias.

Olhando por este lado, a entrada no atendimento clínico “no balcão” faz até sentido para a Amazon, que já desenvolveu seu modelo de venda e entrega de medicamentos desde a aquisição da PillPack, que custou US$ 753 milhões. Com a chegada da One Medical, o leque de opções deve se abrir ainda mais.

Outro movimento da empresa de Bezos na área da saúde foi através de uma parceria com a operadora Care Medical, pela qual foi desenvolvido o Amazon Care, programa de telemedicina que foi oferecido aos seus funcionários em todo os Estados Unidos.

O fato é que a compra da One Medical entra para a história da gigante de Seattle como sua terceira maior aquisição, ficando atrás apenas da compra do Whole Foods (US$ 13,4 bi) em 2017 e do estúdio MGM (US$ 8,5 bi) no ano passado. Antes disso, o terceiro maior negócio da varejista era a Zoox, de carros autônomos, por US$ 1,2 bilhão.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões