fbpx
Compartilhe

As negociações sobre o futuro da Linx ganham, a cada dia, novos contornos.

Hoje, a companhia de software emitiu um comunicado se dizendo “surpreendida” com uma afirmação feita pela Totvs na sexta-feira (14) ao apresentar sua proposta de união com a companhia.

Segundo a Totvs, uma oferta estava pronta e seria apresentada na terça-feira (11). A companhia, no entanto, teria sido surpreendida pela suspensão da publicação dos resultados e pelos fatos relevantes publicados nos dias seguintes, que davam conta de que a Linx já estaria em tratativas com a Stone, e não quis saber o que a Totvs tinha a apresentar.

“A Companhia [Linx], surpreendida com o trecho acima da Proposta Totvs, esclarece que houve contatos preliminares entre os dias 31 de julho e 4 de agosto de 2020 entre o Diretor Presidente da Companhia, o Presidente do Conselho de Administração da Totvs e representante do ItaúBBA. Em tais contatos, a Totvs e o ItaúBBA informaram que qualquer proposta do lado da Totvs ainda estaria em estudos preliminares e demoraria semanas para ser apresentada”, escreveu a Linx.

De acordo com a companhia, na segunda-feira (10), quando o conselho de administração da companhia aprovou a proposta apresentada pela Stone, ele não havia recebido nenhuma comunicação da Totvs, nem tinha elementos para trabalhar com a possibilidade de que uma oferta seria feita.

“Em nenhum momento até a entrega da Proposta Totvs em 14 de agosto de 2020 foram apresentados ou discutidos quaisquer termos e condições de uma transação entre a Companhia e a Totvs. Não há qualquer acordo vigente de confidencialidade (non-disclosure agreement – NDA) que permita o compartilhamento de informações entre a Companhia e a Totvs, tipicamente a primeira etapa necessária para a discussão de uma operação de combinação de negócios.

A Linx ainda diz ter notificado a Totvs para interromper o uso de sua logomarca em suas divulgações. “O Conselho de Administração da Companhia, através dos seus conselheiros independentes, avaliará a Proposta Totvs e manterá os acionistas e o mercado devidamente informados nos termos da regulamentação aplicável”, escreveu a Linx.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões