fbpx

Junte-se agora e acesse (antes de todos) as principais notícias de tecnologia e startups. clique aqui

Locaweb conclui aquisição da Social Miner (RD Station é a próxima?)

Por Gustavo Brigatto, em 20 de janeiro de 2021

0Shares

A Locaweb anunciou ao mercado em fato relevante que concluiu a aquisição da Social Miner. A compra da companhia que atua com dados e inteligência para aumentar vendas online foi a primeira anunciada pela Locaweb depois de seu IPO. O negócio de R$ 22,2 milhões, sem contar earn out, foi o primeiro exit da história da Indicator Capital e o terceiro da Wayra em 2020. A operação demorou a sair por pendências que estavam sendo acertadas com alguns dos investidores da companhia, apurou o Startups.

“Com a integração das soluções da Social Miner, que possui um produto consolidado no mercado, e da All iN – empresa adquirida pela Locaweb em 2013, passamos a oferecer uma suíte completa de serviços que acompanha toda a jornada do consumidor para e-commerces e varejistas de todos os segmentos e tamanhos. Algumas grandes marcas como Natura, Wine, Kabum, Droga Raia/Drogasil, já utilizam a Social Miner para aumentarem as suas vendas, e agora, toda essa tecnologia poderá potencializar as vendas de milhares de clientes da nossa plataforma de e-commerce Tray“, disse a Locaweb no fato relevante. O Startups apurou que a Social Miner tem receita anual entre R$ 10 milhões e R$ 12 milhões.

Com a conclusão do negócio, a Locaweb finalizou as 5 operações que anunciou em 2020 – Social Miner, Etus, Vindi, Ideris e Melhor Envio. E o pipeline para 2021 está animado.

RD Station é a próxima?

Segundo a Agência Estado, a companhia está em conversas com a RD Station para aquisição da companhia, em uma disputa com a Totvs, um negócio de R$ 1 bilhão. Em resposta a consulta feita pela CVM, a Locaweb disse que não existiam “negociações avançadas neste sentido ou está perto de fazer qualquer oferta final pela respectiva empresa”. A Totvs foi na mesma linha. A RD não comenta.

O Startups apurou que Locaweb e Totvs ficaram na fase final de um processo de conversas liderado pelo Morgan Stanley. O banco foi contratado pela RD Station para avaliar a possibilidade de um IPO ou de uma nova rodada de investimento. As duas companhias estariam em processo de due diligence e ainda não fizeram nenhuma proposta pelo negócio.

A rodada de investimento mais recente feita pela RD aconteceu em agosto de 2019, quando ela recebeu R$ 200 milhões da Riverwood Capital, TPG Growth, DGF Investimentos, Redpoint e.ventures e Astella Investimentos.

Em entrevista ao Startups em dezembro, Bernardo Brandão, vice-presidente de marketing da companhia disse que a companhia não tinha gastado praticamente nada do aporte de 2019 e que iria fechar o ano de 2020 em break even – resultado das medidas de contenção tomadas por conta da pandemia. O Startups apurou que a receita projetada da companhia para 2021 é de R$ 225 milhões.

A aquisição faz faria sentido dentro da estratégia da Locaweb de ampliar seu arsenal de tecnologias para empresas que atuam no comércio eletrônico. Para financiar a operação, no entanto, a companhia precisaria fazer uma captação de recursos com uma emissão de ações ou endividamento. A companhia tem assembleia geral extraordinária agendada para terça-feira (26/01). Na pauta está uma proposta de desdobramento de ações na proporção de 4 para 1 para aumentar a liquidez dos papéis e também um aumento de capital dos atuais R$ 644 milhões para R$ 5 bilhões, o que abriria espaço para uma captação de recursos.

Para a Totvs, a compra da RD Station poderia ser considerada uma “questão de honra”, uma vez que é esperado dela algum movimento mais forte depois de ter perdido a queda de braço pela Linx para a Stone. Um múltiplo acima de 4x, no entanto, pode ser difícil de ser justificado, uma vez que a Totvs não costuma pagar tanto por suas aquisições.

Fontes consultadas pelo Startups avaliaram que R$ 1 bilhão (múltiplo de 4x receita 2021) seria um valor baixo para a RD Station e que o valor mais interessante poderia ficar entre R$ 1,5 bilhão e 1,8 bilhão.

Jornalista com mais de 15 anos de experiência acompanhando os mundos da tecnologia e da inovação, com passagens pelo DCI, Sebrae-SP, IT Mídia e Valor Econômico. Fundador e Editor-Chefe do Startups.com.br.