fbpx

Junte-se agora e acesse (antes de todos) as principais notícias de tecnologia e startups. clique aqui

Méliuz compra a fintech Acesso por R$ 324 mi para ampliar oferta de serviços financeiros

Por Gustavo Brigatto, em 3 de maio de 2021

0Shares

A Méliuz anunciou a compra da Acesso por R$ 324,5 milhões. A fintech é especializada em soluções de pagamento e banking as a service e opera utilizando as marcas Acesso, Acesso Bank, Bankly e Banco Acesso. Com a operação, a Méliuz acelera o plano que ajudou seu IPO a acontecer no fim de 2020: usar sua base para a oferta de serviços financeiros.

A compra será feita por meio de aumento de capital e emissão de ações da Méliuz para os atuais acionistas da Acesso. Entre os investidores ela tem HIX Capital, Duxx Investimentos e Invest Tech, segundo o Crunchbase. A Acesso é uma instituição de pagamentos autorizada pelo Banco Central, por isso a operação precisa ser aprovada pelo órgão regulador. A expectativa é que o negócio seja concluído entre o fim do ano e o começo de 2022.

“A associação com a Acesso e sua equipe de gestão marca mais um passo na expansão do ecossistema de serviços financeiros do Méliuz, permitindo o desenvolvimento de soluções em contas digitais, pagamentos, e outros temas relacionados a serviços e produtos transacionais”, disse a Méliuz em comunicado. “A Acesso hoje é uma instituição de pagamento autorizada a funcionar pelo Banco Central, possuindo as licenças, tecnologia e infraestrutura bancária que permitirão ao Méliuz ser protagonista no desenvolvimento e construção de uma solução que atenda as expectativas dos seus usuários. Com isso, o Méliuz passa a ter capacidade de aumentar ainda mais o engajamento da base de usuários, facilitando o lançamento de novos produtos financeiros como investimentos e seguros em parceria com outras instituições financeiras, além de aumentar a venda cruzada com os produtos e serviços já existentes: Cartão Méliuz, Marketplace e Méliuz Nota Fiscal”, completou a companhia.

A Acesso tem um time de 178 pessoas e movimentou R$1,3 bilhão em março. A receita bruta em 2020 foi de R$53,6 milhões. Esse valor dá ao negócio um múltiplo de 6x.

A procura por fintechs está alta. A Ame acaba de comprar a Nexoos, segundo o Brazil Journal. Na semana passada a Via (antiga Via Varejo) anunciou a compra da Celer, também com o objetivo de ampliar sua oferta de serviços financeiros – nesse caso, mais voltada aos vendedores de seu marketplace. Há duas semanas, a Locaweb anunciou a compra da PagCerto, junto com a aquisição da Bling.

Jornalista com mais de 15 anos de experiência acompanhando os mundos da tecnologia e da inovação, com passagens pelo DCI, Sebrae-SP, IT Mídia e Valor Econômico. Fundador e Editor-Chefe do Startups.com.br.