fbpx
Compartilhe

A Nilo Saúde, especializada na oferta de software para gestão de relacionamento e cuidado com pacientes, anuncia sua segunda rodada de captação. A série A de R$ 55 milhões teve a participação do GFC (Global Founders Capital), SoftBank Latin America Fund, Tau Ventures, entre outros. A Maya Capital e a Canary – que já haviam investido no seed próximo a R$ 9 milhões em 2020 – também participaram da rodada.

Depois de provar sua tese, montar o time e desenvolver a tecnologia com a primeira captação, agora o foco é usar o dinheiro para crescer. “Esperamos fechar o ano com uma equipe 4 vezes maior e aumentar a receita em pelo menos 7 vezes”, diz o fundador e presidente da healthtech, Victor Marcondes. 

Atualmente o time da Nilo é composto por 70 profissionais, incluindo médicos, enfermeiros, psicólogos e gerontólogos. Entre os clientes e parceiros (planos de saúde, corretoras, clínicas e redes de hospitais) estão empresas como o Grupo NotreDame Intermédica, a Porto Seguro e a Leve Saúde

Rodrigo Luiz Grossi (à esq), Victor Marcondes e Isadora Kimura, fundadores da Nilo Saúde

Gestão de saúde digital e humanizada

A Nilo Saúde nasceu pouco antes de estourar a pandemia, com o propósito de melhorar a interação entre profissionais da saúde e pacientes por meio de uma comunicação simplificada e integrada. Com isso em mente, criou uma plataforma de SaaS que utiliza o formato white label no segmento B2B. 

“Com o avanço da Covid-19, as teleconsultas ganharam força no Brasil, mas as empresas não estavam preparadas digitalmente para isso. A consulta digital era muito pontual. Foi aí que vimos uma oportunidade”, ressalta Victor.

Além do software para gestão de relacionamento com pacientes através de múltiplos canais, também oferece um serviço de saúde agregado: um time de cuidado multidisciplinar nas modalidades pronto atendimento, atenção primária e especialidades. O intuito é oferecer um relacionamento mais humanizado e de longa data com os pacientes.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões