fbpx
Compartilhe

O Nubank anunciou a aquisição da Olivia, startup de inteligência artificial que ajuda os usuários a planejar seus gastos e economizar mais. A plataforma e os serviços da fintech serão integrados ao guarda-chuva do banco digital, com o objetivo de aprimorar suas estratégias em ciência de dados e especialização do time de tecnologia. O negócio precisa ser aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O valor da transação não foi revelado.

Em nota, o Nubank afirmou que “nasceu para devolver às pessoas o controle sobre o próprio dinheiro”. A aquisição da Olivia vem para reforçar essa missão, para criar experiências e recomendações financeiras personalizadas ao perfil de cada cliente. A operação tinha sido adiantada pelo Pipeline no fim de outubro. No prospecto de seu IPO, o Nubank disse que a operação ainda estava em negociação.

Criada em 2016 nos Estados Unidos pelos brasileiros Cristiano Oliveira e Lucas Moraes (neto de Antônio Ermínio de Moraes, fundador da Votorantim), a Olivia lançou seu app por aqui no início de 2020, apoiada por um aporte de R$ 25 milhões. A transação foi liderada pela carteira de investimentos do banco BV (ex-Banco Votorantim), acompanhada pela MSW Capital através do fundo BR Startups. A XP também era investidora, tendo participado de uma rodada de R$ 1,5 milhão feita no começo de 2019. A plataforma interpreta os hábitos financeiros dos usuários e os ajuda a administrar o dinheiro.

“Unir o Nubank, líder consolidado da primeira revolução, e a Olivia, líder emergente da segunda, foi um caminho natural”, disse Lucas Moraes, cofundador da fintech, em comunicado. “Mesmo com crescimento acelerado nos últimos 2 anos e previsão de gerar caixa no início de 2022, não podíamos deixar passar a oportunidade de acelerar a visão da Olivia com a escala e os recursos do banco digital”, completoy.

Essa é a 6ª aquisição do Nubank desde 2020, que está à beira de se tornar o banco mais valioso da América Latina com seu IPO na NYSE.

ANÁLISES

Veja todas as análises