fbpx
Compartilhe

O Nubank fechou uma nova rodada de investimento em meio à pandemia. A captação foi registrada na SEC, o órgão regulador do mercado de capitais dos EUA, no dia 19 de junho com valor de US$ 300 milhões. Pela cotação do dólar da época, o total em reais chega a R$ 1,6 bilhão.

O valor final pode variar para cima ou para baixo dependendo dos termos do acordo e do prazo em que os valores sejam repassados. As captações registradas na SEC pelo “Form D” têm prazo de um ano para serem concluídas. Normalmente, quando o documento se torna público, a captação já está totalmente concluída.

No caso da oferta do Nubank, 5 investidores participaram da rodada. O documento não informa se se tratam de nomes novos, ou de investidores que já estão na companhia. Na lista de quem já aportou recursos no neobank estão Sequoia Capital, Kaszek, Tiger Global, Founders Fund, DST Global e a chinesa Tencent.

Procurada, a assessoria de imprensa do Nubank disse que não iria comentar.

Antes dessa rodada a companhia havia levantado US$ 400 milhões com a TCV no meio do ano passado. Na época a companhia foi avaliada em US$ 10 bilhões e ganhou status de decacórnio – unicórnio com valor de US$ 10 bilhões. Desde sua primeira rodada em 2014, o Nubank captou US$ 1, 4 bilhão em rodadas de investimento e dívida para financiar seu crescimento.

Na sexta-feira a companhia publicou o balanço do primeiro semestre de 2020. No período, ela reduziu seu prejuízo em quase um terço na comparação com o mesmo período de 2019, somando R$ 95 milhões em perdas. A receita dobrou, chegando a R$ 2,079 bilhões e o número de clientes também avançou na mesma proporção, atingindo a marca de 26 milhões – uma média de 41 mil novo clientes por dia.

No fim dos primeiros seis meses de 2020, o Nubank acumulou R$ 19,9 bilhões em caixa, um aumento de 48% na comparação com um ano atrás.

ANÁLISES

Veja todas as análises