fbpx
Compartilhe

A healthtech e potencial unicórnio Alice não passou imune pelo inverno que chegou às startups. A companhia confirmou nesta terça (12) que desligou 63 funcionários da sua área de vendas na semana passada. As demissões, segundo a empresa, foram consequência da necessidade de redimensionamento da equipe em questão conforme os planos de expansão da Alice.

Os cortes acontecem quase 7 meses após a startup abocanhar uma série C de US$ 127 milhões liderada pelo SoftBank. Com o aporte levantado em dezembro/21, a healthtech trabalha para entrar pesado no mercado corporativo. 

De acordo com posicionamento enviado ao Startups, a Alice lamenta as demissões e informa que os vendedores desligados receberão um salário extra, plano de saúde estendido por 2 meses, além das verbas rescisórias obrigatórias. 

Cada funcionário demitido terá ainda apoio de uma empresa especializada em recolocação no mercado de trabalho para na busca de novos desafios. A healthtech também confirma que houve um processo de revisão das equipes, no qual a startup realocou aproximadamente 20 profissionais em outras áreas.

“Sabemos do impacto que uma demissão tem na vida de uma pessoa e buscamos tornar esse momento o mais humano possível”, comenta André Florence, CEO da Alice, em comunicado. “Ao longo do semestre, entendemos melhor as oportunidades de sermos mais eficientes e seguirmos sustentáveis no longo prazo”, acrescenta.

Ainda de acordo com a empresa, que conta atualmente com mais de 680 funcionários, a Alice segue com vagas abertas em Engenharia, Produto, People, Negócios, Design e Marketing.

As demissões na Alice seguem os ajustes feitos em outras empresas de alto crescimento no ecossistema, como a Daki, que também enxugou a força de trabalho, e a Loft, que demitiu centenas de pessoas na semana passada.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões