fbpx
Compartilhe

*Renato Pezzotti, especial para o Startups, de Piracicaba (SP)


O Pulse, hub de inovação da Raízen, comemora seu quinto aniversário hoje (03/08). Nascido para produzir conexões e encontrar soluções “do campo ao posto”, o hub já alcançou R$ 50 milhões em impacto financeiro potencial na companhia de energia e seus fornecedores, sendo R$ 35 milhões destes em ganhos já consolidados.

Criado em 2017, o Pulse nasceu com foco no agronegócio. Nos últimos anos, porém, ampliou sua presença na empresa, alcançando outros departamentos além do que hoje é chamado de “Raízen Tech”, parte da área de tecnologia e serviços aos negócios da companhia. O hub já atuou, por exemplo, em parceria com áreas como varejo, rating, analytics, logística e segurança física da companhia.

A Raízen, joint venture formada entre a Cosan e a Shell em 2011, é a quarta maior empresa em faturamento do Brasil e segunda maior distribuidora de combustíveis do país, atrás apenas da Vibra (nome da BR Distribuidora desde agosto de 2021).

“O Pulse possui uma verba independente desde seu primeiro dia. Ele não precisa efetivamente se pagar, mas as iniciativas que ele promove têm que dar retorno. Existe um modus operandi que, de fato, faz sentido – e é isso que vimos nestes 5 anos. Pode soar prepotente, mas o Pulse nasceu no lugar certo, na empresa certa e no momento certo”, afirma Fabio Mota, vice-presidente de serviços aos negócios e tecnologia da Raízen.

32 projetos na última safra

O Pulse tem conexão com mais de 800 startups –sendo que 51 delas estão em seu portfólio atual. Destas, 15 se tornaram parceiras no último ano. Com 93 projetos-piloto realizados no total, o hub viabilizou 32 pilotos na safra 2021/2022.

O espaço físico do hub ocupa um andar de um prédio de escritórios dentro do Parque Tecnológico de Piracicaba – em frente ao CAR (o centro administrativo da Raízen), onde atuam mais de 3 mil colaboradores da empresa, de áreas como análise de dados, tecnologia da informação e produtos digitais.

LEIA TAMBÉM: Startups Explica: O que são as AgTechs e quais empresas lideram o setor no Brasil

O Pulse também faz parte do AgTech Valley, ecossistema de startups da região, da qual fazem parte também o AgTech Garage, a EsalqTec (aceleradora da Escola Superior Agrícola Luiz de Queiroz) e o AvanceHub, que pertence à Copaclana (Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo).

Atração e retenção

Desde sua fundação, o Pulse já realizou três hackathons. No último ano-safra, o hub contribuiu para a contratação de 40 talentos na área de tecnologia e realizou sete jornadas de inovação, metodologia onde o hub identifica empresas de base tecnológica, a fim de gerar oportunidades e de conectar as startups com a Raízen.

“Quando chega um desafio para o negócio para qualquer departamento da empresa, o Pulse atua como uma das vias de solução. Ele também é pró-ativo: existe um volume de fornecedores muito grande batendo aqui, todos os dias”, declara Fabio.

Segundo o vice-presidente da Raízen, a atuação do Pulse também foi extremamente importante para a atração e retenção de talentos.

“O Pulse nasceu com 4 pilares: de posicionamento, de inteligência, de cultura e de atração de talentos. Ainda somos uma empresa jovem, mas lá em 2015, em 2016, parte do mercado conhecia pouco a empresa. Na época, usamos o Pulse para conectar a Raízen à nova geração. Deu tão certo que este pilar nem existe mais: virou tudo uma questão de cultura”, afirma.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões