fbpx
Compartilhe

A Creditas registrou uma receita 50% maior no 1º trimestre, chegando a R$ 124,2 milhões puxada pela reaceleração na demanda iniciada no 3º trimestre do ano passado e também pela ampliação do portfólio de crédito oferecido por ela.

No período de janeiro a março, a fintech ampliou em 73% sua carteira de crédito, chegando a R$ 1,55 bilhão. A originação de novos créditos chegou a R$ 420,7 milhões, um avanço de 57% na comparação com os R$ 268,4 milhões do mesmo período do ano passado.

“A contínua alta qualidade do nosso portfólio de crédito e a resiliência do mercado de dívida permitiu que voltássemos ao caminho de crescimento acelerado que tínhamos antes do começo da pandemia da COVID-19”, escreveu a companhia em comunicado.

Ao mesmo tempo em que avançou em volume de recursos, a fintech ampliou os esforços para lançar produtos e ganhar clientes e, por isso, registrou um aumento de 25% no prejuízo líquido, que ficou em R$ 64,6 milhões. A margem de contribuição (descontando custos de financiamento, custos de serviço, provisões de crédito e impostos) ficou em 53,1% entre janeiro e março, 8 pontos percentuais abaixo do registrado um anos antes.

Em 2020, o unicórnio tinha reduzido seu prejuízo em 8% para R$ 185,9 milhões. Ao longo do ano, a companhia concedeu R$ 903,9 milhões em empréstimos, um salto de 70% em relação a 2019. A receita quase dobrou (88% de alta), chegando a R$ 336,2 milhões, contra R$ 178,4 milhões um ano antes.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões