fbpx
Compartilhe

A HRtech Se Candidate, Mulher! vai disponibilizar seu serviço de graça por um tempo limitado para mulheres que buscam emprego. O foco são profissionais que perderam o emprego em meio aos exercícios de redução de custos de startups em meio à instabilidade no mercado de capitais.

A Se Candidate, Mulher! é uma plataforma que prepara mulheres para serem aprovadas em processos seletivos. A profissional passa por uma jornada de aprendizado para processos seletivos, que inclui temas como autoconhecimento, síndrome do impostor, como melhorar o currículo e perfil no LinkedIn, além de desempenho em entrevistas. Os conteúdos são estrelados por especialistas do mercado, como a especialista em inovação e transformação digital e sócia da Fisher Venture Builder, Amanda Graciano.

Depois deste processo, a candidata entra no banco de talentos da startup, que tem empresas que querem aumentar a participação feminina em seus quadros como clientes. Nomes atendidos pela HRtech incluem Ambev, Coca-Cola, Nuvemshop e Picpay.

O acesso ao serviço custa R$ 588 por um trimestre. Como parte da ação Recoloca, a HRtech vai disponibilizar 15 dias de acesso grátis para qualquer mulher que tenha sido afetada pelas demissões em massa das startups, para que elas se recoloquem mais rápido.

“Fiquei extremamente sensibilizada com essa situação e foi a maneira que encontrei de ajudar”, diz Jhenyffer Coutinho, fundadora da Se Candidate, Mulher!. Segundo a empreendedora, a motivação de criar o projeto veio depois de ler a matéria deste Startups sobre as demissões na VTEX, que desligou cerca de 200 pessoas este mês.

As mulheres selecionadas para o período de 2 semanas de capacitação para entrevistas deverão participar de um encontro de boas-vindas e orientações no dia 14 de junho, às 19h. A partir deste dia, as profissionais terão acesso aos conteúdos. O Recoloca também terá um encontro de encerramento e as mulheres apoiadas pelo programa terão um grupo de contato no Whatsapp.

Fundada em 2020, a Se Candidate, Mulher! é o resultado das experiências de Jhenyffer, que é administradora de empresas e percebeu a a dificuldade da inserção feminina no mercado de trabalho, e que a maioria das mulheres só se candidatava a uma vaga de emprego quando possuía 100% dos pré-requisitos. Segundo as pesquisas da fundadora, homens faziam isso com 60%.

Desde sua fundação, a startup estima ter impactado mais de 2 milhões de mulheres em busca de um novo emprego.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões