fbpx
Compartilhe

Por meio da ABFintehcs, as companhias em operação no Brasil entregaram ao Banco Central um pedido de R$ 5 bilhões ao setor. As medidas incluídas no pacote trariam como efeito mais recursos para pequenas empresas e médias empresas afetadas pela pandemia

No fim de março, o regulador já tinha lançado algumas medidas para melhorar a vida das fintechs reguladas, que operam sob os modelos de Sociedade de Crédito Direto (SCD) e Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP), que passaram a poder emitir cartões, repassar recursos do BNDES e vender suas carteiras para um número maior de investidores.

A ideia agora é aumentar o alcance das medidas.

Tá, mas e daí? Na semana passada falei sobre a necessidade de um olhar para as fintechs, para garantir mais competição e acesso ao sistema financeiro neste momento. A questão é se a boa vontade apresentada nos últimos anos vai se manter agora.

 

OPINIÃO

Veja todas as opiniões