fbpx
Compartilhe

A StartSe, plataforma de educação voltada à nova economia, levantou R$ 75 milhões em sua 1ª rodada de captação (que foi classificada como uma série A pelo porte e pelo momento da empresa). O aporte foi feito pela gestora Pátria Investimentos, que passa a ter participação minoritária – de tamanho não divulgado – na operação.

O dinheiro será usado em aquisições estratégicas (não somente na área educacional), expansão internacional e tecnologia. A companhia, que tem hubs em São Paulo, Vale do Silício e Miami (Estados Unidos), China, Israel e Portugal, tem planos de ampliar sua presença na América Latina.

Já na parte de tecnologia, o aporte será usado tanto em contratações como em inovação, principalmente em IA, análise de dados e recomendação. A empresa, que atualmente conta com um time de tecnologia de 30 profissionais, espera aumentá-lo em janeiro para pelo menos 120 pessoas.

Segundo Junior Borneli, fundador e presidente da StartSe, o namoro com o Pátria começou há alguns meses. “Tínhamos um plano claro de como queríamos captar recursos. Além do dinheiro, buscávamos um parceiro com expertise de consolidador de mercado”, conta Junior. De fato, o Pátria tem um longo histórico de investimento em educação, sendo o principal acionista das universidades Anhembi Morumbi e Anhanguera.

Junior Borneli, fundador e presidente da StartSe

Missão edtech

Fundada em 2015 como uma plataforma de informação (notícias) para o ecossistema, a StartSe agora prepara empresas e profissionais para a transformação digital por meio de consultoria, treinamentos, mentorias, entre outros serviços. 

Depois de sofrer um duro baque e fazer as contas para fechar as portas por conta do impacto das medidas de isolamento, a edtech que tinha a maior parte de suas receitas ligada a eventos presenciais firmou-se como uma plataforma de conhecimento em negócios da nova economia, reunindo em um ambiente virtual um ecossistema multiplataforma gratuito baseado em inteligência artificial e atualizado diariamente com conteúdo analítico e inspirador, em diversos formatos e estilos. 

Em maio, a companhia comprou 40% da Captable, visando ampliar a sua atuação em outras frentes, além da educação em novas economias. Atualmente a plataforma conta com 80 mil clientes, entre empresas e pessoas físicas. Somente em 2020, quase 1 milhão de pessoas fizeram um curso ou consumiram conteúdo da StartSe.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões