fbpx
Compartilhe

Na queda de braço entre aplicativos e a Justiça Trabalhista, o Uber ganhou um round. Em julgamento na quarta-feira, a 5ª Turma decidiu que não há vínculo empregatício com os motoristas. “A decisão vai na mesma linha de 75 acórdãos proferidos por Tribunais Regionais e mais de 240 sentenças de diversas varas do trabalho pelo país, que afastaram o vínculo empregatício ou declararam a incompetência da Justiça do Trabalho em ações contra a Uber”, informou a companhia em comunicado enviado à imprensa.

Tá, mas e daí? Lembra que eu tinha dito que esse assunto ainda daria muito pano pra manga? Pois é. O placar das últimas semanas, por enquanto, está a favor dos aplicativos, com iFood e Uber tendo recebido decisões favoráveis e só o Rappi tendo o vínculo empregatício reconhecido (mas com liminar favorável expedida logo em seguida). O Rappi, aliás lançou na semana passada, o RappiPoints, um espaço de conveniência e descanso para entregadores. São 8 em São Paulo com intenção de abrir mais em outras cidades em breve.

ANÁLISES

Veja todas as análises