fbpx
Compartilhe

Os investimentos em startups ter alcançado a marca de US$ 3,2 bilhões no período de janeiro a maio no Brasil foi motivo de comemoração. Com razão. O volume, que corresponde a 90% do registrado em 2020, é recorde e representa o interesse por inovação e novos modelos de negócios – com componentes de hype, exageros e expectativa inflacionadas também, é claro.

Mas vamos colocar as coisas em perspectiva. Estamos em rota de crescimento, mas ainda longe do potencial total (3, 4 vezes mais dinheiro, talvez?) e bem pequenos em relação ao que está acontecendo em outros mercados. Dá só uma olhada nos números da China.

Nos 5 primeiros meses do ano, as startups chinesas receberam 1.303 aportes, movimentando US$ 37,4 bilhões. Você leu certo: trinta e sete bilhões! segundo dados da GlobalData.

“Apesar dos investidores adotarem uma abordagem cautelosa e a atividade de negócios permanecer moderada durante a maior parte do período, a China conseguiu testemunhar o anúncio de alguns negócios de alto valor, o que ajudou a registrar um valor de financiamento cumulativo considerável”, disse Aurojyoti Bose, analista-chefe da GlobalData, consultoria responsável pelo levantamento. O montante do país representou entre 50% e 70% do volume e número total de negócios na região da Ásia-Pacífico. A Índia ficou em 2º lugar, com US$ 8,1 bilhões distribuídos em 499 negócios.

Entre as operações que mais se destacaram na China entre janeiro e maio estão os US$ 3 bilhões captados pela Xingsheng Optimal, seguidos pelos US$ 750 milhões obtidos pelo app de mercado Nice Tuan, conhecido localmente como Beijing Shihui Technology. A rodada série D foi liderada pelo Alibaba e pela DST Global.

O Brasil registrou em junho a 1ª rodada de mais de US$ 1 bilhão, com a extensão da série G do Nubank. Não só o porte chamou a atenção, mas também a entrada de investidores do porte de Warren Buffet e da gestora brasileira Verde, mais acostumada ao mundo do private equity. Startups estão na moda e há apetite. Agora é só ninguém pisar na bola e o Brasil também dar uma forcinha não atrapalhando.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões